Pecuarista é condenado a 28 anos de prisão por matar ex-companheira e namorado dela há 26 anos em Rondonópolis

Rafaela Lima

Rafaela Lima

Pecuarista é condenado a 28 anos.
O julgamento ocorreu no Tribunal do Júri de Rondonópolis, sendo adiado várias vezes ao longo dos anos. O crime teve lugar em 1997 - Foto: Reprodução

Pecuarista é condenado a 28 anos de prisão por matar ex-companheira e namorado dela há 26 anos em Rondonópolis

Depois de vários adiamentos, o pecuarista Gilberto Luiz de Rezende, réu acusado de homicídios qualificados ocorridos em 1997, foi condenado a 28 anos de prisão pelo Tribunal do Juri. O julgamento, presidido pelo juiz Leonardo de Araújo Costa Tumiati, aconteceu na quinta-feira (07).

A sentença determina que o réu não poderá recorrer em liberdade devido a seu histórico de descumprimento de medidas cautelares e perturbação da ordem pública. Gilberto foi preso em 2 de dezembro, em Paranatinga, pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), com apoio do Ministério Público do Estado de Mato Grosso.

Os crimes, que corriam o risco de prescrição devido a manobras da defesa, foram cometidos contra Marciana Siqueira da Silva, ex-esposa de Gilberto, e Ewandro Carlos Satelis, em 1997, no município de Rondonópolis.

Veja também: Mulher de pecuarista vítima de queda de avião morre em Campo Grande

O réu já havia sido condenado em 2016, mas a defesa obteve sua liberdade provisória e anulação do júri. O Superior Tribunal de Justiça determinou novo julgamento, marcado para 31 de outubro deste ano, sendo adiado para 21 de novembro devido a requerimentos da defesa.

Durante esse período, a defesa apresentou diversos recursos, conseguindo substituir a prisão preventiva por medidas cautelares. Entretanto, em 21 de novembro, devido ao descumprimento das medidas, o juiz, a pedido do Ministério Público, decretou novamente a prisão preventiva do réu.

O crime, conforme a denúncia do Ministério Público, ocorreu em agosto de 1997, quando as vítimas foram atingidas por disparos de armas de fogo dentro de um veículo Pálio. Adeir de Sousa Guedes Filho, contratado por Gilberto Luiz de Rezende, foi julgado e condenado pelo duplo homicídio, tendo envolvimento com o grupo criminoso “A Firma”.

Acompanhe nosso Instagram e Twitter do Primeira Hora para mais conteúdos informativos.

+ Acessados

Veja Também