Sem tratamento, mulher dá à luz a três pares de gêmeos em apenas cinco anos: ‘Foi chocante’

Picture of R7

R7

Na foto estão, em cima, James e Julia (7 anos), seguidos de Mikey e Maria (4) e Luke e Leo (1) - Reprodução/Instagram

Sem tratamento, mulher dá à luz a três pares de gêmeos em apenas cinco anos: ‘Foi chocante’

Compartilhe:

A americana Kathleen Marie, de 37 anos, e o marido, Adam Michael, de 35, tornaram-se, em menos de cinco anos, pais de seis crianças — três pares de gêmeos — sem o auxílio de tratamento. O casal sempre quis uma família grande, mas nunca imaginou que seria dessa forma.

James e Julia, de 7 anos, são os gêmeos mais velhos. Mikey e Maria são os “do meio”, com 4. Em 2021, nasceram Luke e Leo, hoje com 1 ano. Todas as gestações foram bivitelinas (irmãos não idênticos) e concebidas sem fertilização in vitro. 

As chances de isso ocorrer de forma natural são uma em 200 mil. 

“[Na primeira gestação] o ultrassonografista ficou quieto e disse: ‘Você tem os dois por um!’. Eu não podia acreditar. Adam estava completamente em silêncio. Perguntei ao médico: ‘Por que estou tendo gêmeos?’. Ele disse: ‘Gêmeos são mais comuns em mulheres mais velhas’. E eu expliquei: ‘Mas eu só tenho 29 anos!'”, lembrou Kathleen, ao jornal The Sun. 

A surpresa do casal se deu porque eles não tinham ciência de um histórico de gêmeos na família, o que comumente motiva essas gestações. Essa informação, no entanto, estava sendo guardada por Mary, a avó de Kathleen. 

“Ela [Mary] estava esperando a chegada dos gêmeos. Ela explicou que havia um histórico familiar. E meu primeiro pensamento foi: ‘Por que só estou ouvindo isso agora?'”, contou a americana.

Após a análise de sua árvore genealógica, ela descobriu que a tataravó teve 16 filhos, incluindo um casal de gêmeos. 

Depois do choque, os dois começaram a se preocupar com a adaptação das crianças. “Eu estava pensando em todas as coisas que precisaríamos comprar — um carrinho duplo, duas cadeirinhas, dois berços”, recordou Kathleen. 

Não muito tempo depois de estarem lidando com os bebês, o casal descobriu que trariam mais um par de gêmeos ao mundo (James e Julia). 

“Descobrir que estávamos tendo um segundo set foi realmente chocante, nunca em um milhão de anos eu esperava isso. Eu estava nervosa, mas animada também. Minha atitude foi: ‘Já temos um conjunto, podemos fazer isso'”, disse a americana.

Na terceira gestação, Adam tinha certeza de que seria outro casal de gêmeos, mas a esposa ainda tinha receios. No ultrassom, foi revelado que o marido estava certo.

“Pensei: ‘Isso é loucura’. Eu me senti tão assustada com outra gravidez e parto duplo de alto risco. Eu corri para a sala de espera, usando minha máscara, e gritei: ‘Preciso que todos vocês saibam que estou tendo meu terceiro par de gêmeos’. Vi os olhos das enfermeiras se arregalarem como pires”, relatou Kathleen.

A família durante o último Natal

A família durante o último Natal – REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Atualmente, o casal busca, todos os dias, se adaptar à rotina agitada de ter seis crianças em casa. “Há momentos em que eu poderia rir ou chorar, e escolho rir”, diz a mãe dos bebês.

A estratégia de Kathleen é se concentrar na parte fofa e agradável e usar a falecida avó como um exemplo a ser seguido. 

“Ela teve cinco filhos — quatro meninos e uma menina —, todos em sete anos. Ela era uma mulher maravilhosa, tão descontraída e paciente, e sempre dizia: ‘A louça não vai a lugar nenhum, as crianças são mais importantes'”, lembra. 

O papel dos pais também é feito com muita parceria. Adam, por exemplo, é responsável por preparar o jantar.

“Nós nos apoiamos porque ninguém mais sabe como é criar três pares de gêmeos”, disse Kathleen.

O único desafio é manter a casa organizada. Com o auxílio de um esfregão robótico e um aspirador eletrônico, a família tenta deixar tudo em ordem. As crianças também ajudam em algumas tarefas. 

“A parte mais difícil não são as crianças — adoro passar tempo com elas —, é a casa e o que ela cria. Vou limpar os brinquedos e, uma hora depois, eles estão todos de volta. Eu lavo pelo menos uma carga de roupa todos os dias e, em alguns dias, três ou quatro cargas”, conta a americana.

A comida também é encomendada congelada e a granel, já que é complicado levar todas as crianças ao mercado. Para se ter uma noção, a família tem um consumo semanal de, pelo menos, quatro galões de leite, blocos de queijo e dez barras de figo. 

Para o transporte, eles têm uma perua de quatro lugares e uma minivan de oito assentos. 

“Eu tinha uma rotina muito boa quando tinha quatro filhos, mas quando chegaram os gêmeos mais novos, pareceu impossível”, contou Kathleen. 

No entanto, o casal ainda consegue manter alguns padrões, como as refeições em família e o horário fixo para descanso noturno.

“O jantar é às 17h30, às 18h30 começamos a rotina de dormir, e todas as crianças estão dormindo às 19h30. Eu dou banho nos dois meninos mais velhos juntos e nas meninas juntas, e os bebês vão com um ou ambos”, explicou a americana. 

Por fim, o casal considera que os três pares de gêmeos foram uma maravilhosa surpresa. 

“Eu sempre quis muitos filhos, não contava com eles todos juntos, mas todas as crianças são muito unidas e se dão muito bem.”

As meninas dividem o mesmo quarto, assim como os meninos mais velhos. “Nossa casa é cheia de amor e diversão. Não troco por nada”, afirma Kathleen.

Deixe um comentário

Veja Também

Quer ser o primeiro saber? Se increve no canal do PH no WhatsApp