Reginaldo cobra solução para falta de água no complexo Caic

Reginaldo cobra solução para falta de água no complexo Caic



O vereador Reginaldo Santos – Cidadania esteve na segunda-feira (01) no complexo Caic, Jardim Gramado. O legislador recebeu informação de que toda as atividades no local, que abriga uma escola, uma creche e um PSF, foram paralisadas por falta água.

A presença de um carro-pipa, com água potável denunciou o problema. A única bomba de água que distribui o abastecimento para todo o complexo queimou. O parlamentar demonstrou muita indignação com o fato, já que a questão foi repassada para a Secretaria Municipal de Educação antes do início das aulas.

“Essa mesma bomba queimou na metade de dezembro de 2018. Conversei com a secretária Carmem Garcia Monteiro, que garantiu que compraria uma bomba nova. Pois bem, o ano letivo começou e Secretaria não fez aquisição do equipamento novo, resolveu consertar a peça antiga. O barato saiu caro, a tal bomba queimou mais uma vez e centenas de pessoas estão prejudicadas”.

O vereador promete intensificar a cobrança junto ao poder público pela troca definitiva do equipamento. De acordo com Reginaldo, duas manutenções seguidas já pagariam uma bomba nova. “Espero que dessa vez a Semed trabalhe com o bom senso. O conserto dessa peça custa em torno de R$ 4 mil, enquanto uma nova não passa de R$ 7 mil. Passou da hora de resolver essa situação. É preciso ter mais respeito com as pessoas”, critica.

Reginaldo também sugeriu ao poder público que a descentralização do abastecimento das repartições seja efetivada. “Hoje se a bomba parar, paralisa tudo. A descentralização seria mais inteligente e sensato. Isso acarreta menor sobrecarga e da autonomia para o funcionamento das atividades”, explica.

O complexo Caic foi construído pelo Governo Federal na década de 90 e é administrado pela Secretaria Municipal de Educação. O local é dividido entre um Posto do Programa de Saúde da Família (PSF), a Unidade Municipal de Educação Infantil Monteiro Lobato e a Escola Municipal Professora Evânia Rodrigues da Silva. Cerca de mil pessoas circulam pela região diariamente.