Região oeste vai receber R$ 6 bilhões em obras na área de infraestrutura

dia mundial do rock promete abalar as estruturas de rondonópolis

A região oeste de Mato Grosso vai receber nos próximos anos mais de R$ 6 bilhões de reais em investimentos na área de infraestrutura. Os recursos fazem parte do Programa de Investimento em Logística (PIL), anunciado esta semana pelo Governo Federal, e prevê concessão à iniciativa privada de três trechos das BRs 163 e 364, e de dois trechos de ferrovias em Mato Grosso, até 2016.

Dos R$ 198,4 bilhões estimados pelo Governo em investimentos da iniciativa privada para todas as obras, R$ 6,3 bilhões serão aplicados na duplicação e construção de terceira pista da BR-364, entre Comodoro e Porto Velho (RO), trecho de 806 km.

As obras a partir de Comodoro vão beneficiar diretamente produtores rurais de Sapezal, Campo Novo do Parecis, Tangará da Serra, Campos de Júlio, entre outros municípios vocacionados ao agronegócio na região.

O deputado Wancley Carvalho, que representa a região oeste na Assembleia Legislativa, recebeu com entusiasmo o anúncio de investimento, já que a falta de logística tem sido um dos entraves do desenvolvimento econômico entrave ao de tem

"Nosso principal gargalo para crescimento na região oeste é a infraestrutura. Não temos logística adequada para escoar a produção abundante de nossas terras produtivas. Esta importante obra vai integrar as regiões produtoras com o estado de Rondônia, onde esta a Hidrovia do Rio Madeira", pontuou o deputado.

Transcontinental – Ainda nesta semana, em Comodoro, a visita da comitiva chinesa para debater a construção de uma ferrovia transcontinental que ligará o Estado ao Oceano Pacífico, encheu de ânimos os municípios da região oeste.

Na ocasião, o deputado Wancley Carvalho, juntamente com o governador Pedro Taques (PDT), recebeu o embaixador da China no Brasil, Li Jinzhang, e 23 empresários e diretores de empresas de construção pesada e bancos de investimentos do país asiático.

A ferrovia passará no Brasil pelo Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Rondônia e Acre, seguindo para o Peru. A expectativa é que a parceria com o governo chinês possibilite a conclusão da ferrovia em um curto espaço de tempo.