Quadro de Paulo Gustavo segue grave, mas estabiliza com fim de hemorragia

Segundo novo boletim emitido pela assessoria de imprensa, ator continua intubado e em terapia intensiva após complicações pulmonares que demandaram várias intervenções

Foto: Divulgação/ Multishow

O ator Paulo Gustavo segue internado em estado grave com Covid-19. Na manhã desta quinta-feira (15), a assessoria de imprensa do artista emitiu novo boletim oficial com informações atualizadas sobre o quadro.

“Internado desde 13 de Março, no Rio de Janeiro, com quadro de COVID-19, Paulo Gustavo segue em terapia intensiva e ainda se encontra em situação grave. As complicações pulmonares demandaram várias intervenções como  broncoscopias e alguns procedimentos cirúrgicos. Hoje, a equipe médica esclarece que:

‘Finalmente conseguimos sanar as fístulas bronco-pleurais identificadas. Nas últimas 48 horas também observamos a normalização da coagulação com o tratamento instituído e não mais detectamos sinais de hemorragias. A situação clínica do paciente, embora ainda crítica, traz à equipe profissional mais confiança em sua recuperação. Estamos cientes de que ainda temos um caminho pela frente. A dedicação e a experiência dos médicos e demais profissionais do hospital tem proporcionado o melhor tratamento ao paciente, seguindo o que há de mais atual conforme os principais centros hospitalares internacionais. O paciente permanece utilizando ventilação mecânica e ECMO.’

A família do ator agradece muito todo o carinho e orações e pede que continuem a enviar boas energias para a recuperação de todos os que se encontram na luta contra o vírus”, dizia o comunicado.

Internação

Paulo, que está em um hospital de ponta carioca, está internado desde o dia 13 de março, e passa por um tratamento com ECMO, técnica de Oxigenação por Membrana Extracorpórea.

ECMO funciona como pulmões e coração artificiais em pacientes que estão com os órgãos comprometidos e tem sido utilizado em casos graves de pacientes com Covid-19. Nos últimos dias Paulo foi submetido a dois procedimentos: uma toracoscopia para correção de uma fístula bronco-pleural no domingo (4) e uma pleuriscopia no sábado (3).