Projeto proíbe que moradores e empresários sejam despejados durante pandemia em MT

Inflação do aluguel é de 6,39% em 12 meses
Tânia Rêgo/Arquivo Agência Brasil

Sendo um dos parlamentares mais atuantes na luta contra o novo coronavírus (Covid-19), o deputado estadual João Batista (Pros), durante a sessão extraordinária na manhã de segunda-feira (30), realizada por videoconferência, apresentou o Projeto de Lei nº 240/2020, que suspende o cumprimento de mandados de reintegração de posse, despejos e remoções judiciais ou extrajudiciais, no âmbito do Estado de Mato Grosso.

Como explicou João Batista na defesa do seu projeto, enquanto perdurar a pandemia e as situações de restrições impostas por ela, a lei irá garantir a moradia para população mais pobre, assim como dar segurança jurídica aos empresários.

“As consequências econômicas decorrentes da paralização dos serviços em função das medidas de confinamento social, acarretarão enormes dificuldades para pagamento de aluguel e prestações de casas financiadas. Com certeza muitas famílias estarão ameaçadas de despejo e remoções forçadas, o que poderá obriga-las a entrar em situações de maior precariedade e exposição extrema ao vírus”, disse João Batista.

Preocupado em dar continuidades em vários serviços, o parlamentar diz que as medidas de contenção podem deixar algumas empresas impossibilitadas de cumprir com obrigações pactuadas e contratualmente assumidas.

“A Justiça do país já se manifesta nesse sentido. Em Brasília um magistrado deferiu pedido de tutela de urgência para um lojista de um shopping center, permitindo-lhe a supressão de pagamento do aluguel mínimo e do fundo de promoção e propaganda, enquanto perdurar a pandemia e as situações de restrições impostas por ela”, disse.

Mais ações

O deputado também apresentou um requerimento de informações ao secretário de Segurança Pública do Estado (Sesp), solicitando informações sobre “quais medidas estão sendo adotadas, para o enfrentamento
à Covid-19, nas unidades penais do Estado”.

Ainda na manhã de segunda-feira, João Batista apresentou uma indicação ao governo do estado, mostrando a necessidade de suspensão da cobrança das parcelas dos empréstimos consignados, dos servidores públicos estaduais, pelo período de noventa dias. O prazo que poderá ser ampliado enquanto durar a pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

“Como deputado estadual estou usando todas as ferramentas que estão ao meu alcance. Espero que o governo do estado atenda as minhas proposições apresentas hoje durante a sessão”, finalizou.