Presidente da CDL desabafa e diz que entidade está sendo ignorada por Comitê de Combate à Crise do Coronavírus

Presidente da CDL concedeu coletiva na tarde desta quarta-feira

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Rondonópolis, Thiago Sperança, fez um desabafo na tarde desta quarta-feira (3) , em entrevista coletiva. Ele explicou que a classe empresarial da cidade não está sendo chamada para a discussão com Comitê de Combate a Crise do Coronavírus (CCCC)  e isso tem gerado um clima de desconforto e instabilidade no setor. 

Ele cita como exemplo a última decisão de fechar o comércio a partir de sexta com a abertura na segunda. Thiago argumenta que haverá prejuízos como o caso do setor de alimentos perecíveis . “Na forma que fizeram não tem como planejar, o decreto saí  amanhã (quinta) e teremos um dia para ajustar tudo”, disse. “Ficamos sabendo por meio da imprensa, estamos perdidos igual barata, não temos comunicação direta (com o Poder Público) para sabermos o que podemos fazermos de fato”, completou.

O problema, de acordo com o líder empresarial, é que o comércio vem sendo constantemente penalizado nas medidas restritivas por parte do Poder Público e não está sendo ouvido. Ele cita que a CDL, por exemplo, mandou diversos ofícios e tem sido na maioria das vezes ignorada. 

Thiago também destaca que há exemplos que estão apresentando bons resultados como o caso de Sorriso no Norte do Estado. O empresário explicou que lá há medidas restritivas de forma programadas e direcionadas à bairros e regiões da cidade onde há índices maiores de infecções via Coronavírus.

Ele ainda explicou que há um grupo de representantes de 14 entidades que também não está sendo ouvido pelo Comitê.

Leia mais sobre o assunto:

Pátio anuncia fechamento do comércio ao sábados e depois das 22 horas e vai cobrar para empresas fazer testes