Operação para descapitalizar organização criminosa resulta em mais de R$ 1 milhão em bens sequestrados e bloqueados

Picture of Polícia Civil-MT

Polícia Civil-MT

Foto: Polícia Civil-MT

Operação para descapitalizar organização criminosa resulta em mais de R$ 1 milhão em bens sequestrados e bloqueados

Coordenada pela DERF de Sinop, a operação prendeu 40 investigados, fechou uma farmácia usada para lavar dinheiro do tráfico e apreendeu 13 armas de uso restrito

Compartilhe:

Valores bloqueados e bens sequestrados judicialmente de alvos da Operação Follow the Money, deflagrada pela Polícia Civil na semana passada com o objetivo de descapitalizar uma organização criminosa que age no tráfico de drogas em Sinop, somam mais de R$ 1 milhão.

Com base nas investigações da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Sinop, foi requerido o bloqueio de 17 contas bancárias e o sequestro e cautela de veículos automotivos dos investigados, autorizados pela 2ª Vara Criminal da comarca local.  

Foram apreendidos sete veículos, entre carros de passeio, camionete, picape e motocicletas. Um dos veículos, uma camionete Chevrolet S10 é blindada e outro é um modelo de luxo, um Jeep Compass. 

A Operação Follow the Money é resultado de uma investigação qualificada, subsidiada em centenas de levantamentos e análises, inclusive financeira, dos envolvidos na lavagem de dinheiro do tráfico de drogas no município. A investigação teve início a partir da apreensão de quase meia tonelada de maconha, em uma chácara em Sinop no mês de julho de 2022. A partir de então, a Derf de Sinop mapeou os envolvidos no esquema de lavagem de dinheiro, que utilizavam empresas fantasmas e também empresas reais para dissimular o capital ilícito, dando a aparência de licitude às transações ilegais. 

Uma farmácia em Cuiabá estava entre as empresas usadas na lavagem de dinheiro. Os medicamentos apreendidos na operação foram doados à Secretaria de Saúde de Cuiabá e somam R$ 190 mil. 

Um DJ de Sinop, preso na operação, era o responsável por repassar os valores, que destinados também a sustentar atividades luxuosas de familiares dos líderes da uma facção criminosa, que estão custodiados na Penitenciária Central do Estado. Esses criminosos também foram alvos de busca e apreensão e nas celas foram encontrados quatro aparelhos celulares. 

Quarenta investigados foram presos na operação por força de mandados judiciais e 12 suspeitos autuados em flagrante por posse de armas, acessórios e munições de uso restrito e tráfico de drogas. Foram cumpridos 136 mandados judiciais, entre prisões, buscas, sequestros de bens e bloqueios de contas bancárias.

Deixe um comentário

Veja Também

Quer ser o primeiro saber? Se increve no canal do PH no WhatsApp