Número de mortos pela Covid-19 no Brasil é maior que população de Rondonópolis, Pedra Preta e S.J. Povo

Praia foto criado por wirestock - br.freepik.com

De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde, na noite terça-feira (02) 257.361 pessoas morreram por complicações do coronavírus no Brasil.

O número alarmante assusta ainda mais quando se coloca algumas comparações. Para se ter uma ideia da quantidade de vidas perdidas até o momento basta somar as populações de Rondonópolis (236.042) + Pedra Preta (17.446) + São José do Povo (3.673). Os três municípios concentram 257.161 habitantes.

Com o avanço da infecção em todo o país e a irregularidade de vacinação esse número deve continuar “engolindo” cidades nos próximos meses.




A única arma contra a Covid-19 é vacina, mas enquanto ela não chegar para a maior parte da população, o recomendado pelo Ministério da Saúde é proteção.

As principais recomendações de proteção do órgão são:

Lave com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão, ou então higienize com álcool em gel 70%. Essa frequência deve ser ampliada quando estiver em algum ambiente público.

Ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com a parte interna do cotovelo.

Não tocar olhos, nariz, boca ou a máscara de proteção fácil com as mãos não higienizadas.

Mantenha distância mínima de 1 (um) metro entre pessoas em lugares públicos e de convívio social. Evite abraços, beijos e apertos de mãos.

Higienize com frequência o celular, brinquedos das crianças e outros objetos que são utilizados com frequência.

Não compartilhe objetos de uso pessoal como talheres, toalhas, pratos e copos.

Mantenha os ambientes limpos e bem ventilados.

Utilização de máscaras em todos os ambientes.  As máscaras de tecido (caseiras/artesanais), não são Equipamentos de Proteção Individual (EPI), mas podem funcionar como uma barreira física, em especial contra a saída de gotículas potencialmente contaminadas.

A COVID-19 é uma doença causada pelo coronavírus, denominado SARS-CoV-2, que apresenta um espectro clínico variando de infecções assintomáticas a quadros graves. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a maioria (cerca de 80%) dos pacientes com COVID-19 podem ser assintomáticos ou oligossintomáticos (poucos sintomas), e aproximadamente 20% dos casos detectados requer atendimento hospitalar por apresentarem dificuldade respiratória, dos quais aproximadamente 5% podem necessitar de suporte ventilatório.

 

 

 

Com informações do Ministério da Saúde