Ministério da Saúde adere a esforço internacional por vacinas contra a Covid-19

A medida permitirá que o Brasil diversifique suas opções a, pelo menos, nove vacinas em desenvolvimento. A expectativa é imunizar os grupos de risco a partir do início de 2021

Foto: Divulgação Instituto de Pesquisas Clínicas

O Ministério da Saúde aderiu ao Instrumento de Acesso Global de Vacinas Covid-19 (​​Covax Facility ​ ​). A ​​adesão ​irá permitir que o Brasil tenha, entre suas opções, pelo menos mais nove vacinas em desenvolvimento. Desta forma, assim que concluída uma vacina de comprovada eficácia e segurança, o país poderá imunizar os grupos de risco da doença a partir de 2021.

Nesta quinta-feira (24/09), o Governo Federal anunciou o investimento de R$ 2,5 bilhões para a entrada do país na ​Covax Facility, por meio da ​​Medida Provisória Nº 1.004, de 24 de setembro de 2020.

“​​Este é mais um compromisso do governo brasileiro para salvar vidas. Estamos atuando em diversas frentes para alcançar, com agilidade e segurança, uma cura efetiva para a Covid-19”, destacou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

O Governo Federal segue em tratativas bilaterais para ofertar aos brasileiros a maior cobertura vacinal possível. A Covax não impede que os países participantes assinem acordos para adquirir vacinas contra a Covid-19 não contempladas em sua lista.

A ​​Covax Facility ​ é uma ação internacional coordenada prioritariamente pela ​​Aliança Gavi ​ ​, com o objetivo de promover a produção e o acesso global a um imunizante contra a Covid-19. Caberá à Gavi negociar com os laboratórios fabricantes valores e prazos de entrega.

A iniciativa é parte do ACT Accelerator, projeto de colaboração global coordenado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para desenvolvimento, produção e acesso a testes, tratamentos e vacinas para a Covid-19.