Mini ‘do futuro’ apostará em personalização e compartilhamento

ford focus rs é eleito carro do ano 2017 e conquista prêmio de melhor motor nos eua

As marcas do grupo BMW apresentaram nesta quinta-feira (16) conceitos que servem como exercício de antecipação dos carros do futuro. A Rolls-Royce, por exemplo, acredita que o automóvel de luxo será totalmente autônomo e não poderá ser dirigido por um motorista.
Por outro lado, a Mini vai por um caminho menos "trágico", com aposta no compartilhamento de veículos. O Mini Vision Next 100 foi criado para mostrar que a posse de um veículo deve se tornar opcional nos próximos anos. Para isso, a marca acredita que o veículo terá que se adaptar aos mais diversos usos de seus vários "donos".
Isso pode ser percebido pelas opções de cores do interior e até do teto do veículo. Na condução, cada motorista poderá escolher o modo com que o carro será guiado – seja de forma autônoma, seja da esportiva John Cooper Works.
Todas as configurações do carro podem ser reguladas no que a marca chama de Cooperizer, o grande círculo que fica no meio do console. Ele é uma evolução do que existe no Mini atual, mas sem os botões e com mais possibilidades de ajustes.
O que a Mini chama de "Go kart feeling", ou a sensação de dirigir um kart, será reforçada por um interior praticamente sem botões. Para melhorar a visibilidade, toda a dianteira será de material translúcido.
Assim como o Rolls-Royce do futuro, o Mini futurista também será elétrico. Durante a condução autônoma, os pedais serão recolhidos e o volante "desliza" para o meio do painel. Basta que o motorista puxe o volante de volta para a posição original que ele passa a comandar o carro.
Interior do conceito Mini Vision 100 (Foto: Divulgação)
Conceito Mini Vision 100 (Foto: Divulgação)