Militares em Rondonópolis participam de palestras sobre violência doméstica

As palestras são iniciativas do deputado estadual, Delegado Claudinei e foram realizadas nesta segunda-feira (25) – “Dia Internacional de Combate à Violência Contra a Mulher”

Sandra Costa/Assessoria

Mais de 150 militares, entre oficiais e praças do 18ª Grupo de Artilharia de Campanha (GAC) do Exército Brasileiro, em Rondonópolis, participaram nesta segunda-feira (25) de palestras preventivas sobre violência doméstica. Ontem, foi o Dia Internacional de Combate à Violência Contra a Mulher e a ação foi idealizada pelo deputado estadual, Delegado Claudinei (PSL), que encerra o calendário de 2019 de ações preventivas dessa problemática.

O delegado Cláudio Santana, titular da Delegacia da Mulher, Criança e Idoso de Várzea Grande, e a investigadora Gislene Cabral, da Delegacia da Mulher de Rondonópolis, ministram as palestras. Com o tema: “Papo – De homem para homem”, Cláudio falou que muitos casos que chegam à delegacia, o homem não entende que praticou algum tipo de violência.

Sandra Costa/Assessoria

“Ainda que não tenha agredido fisicamente, o homem pode praticar agressão, por exemplo, quando ‘xinga’ a mulher, faz ameaças a elas  e isso se enquadra na lei Maria da Penha. Por isso, além dos trabalhos que temos na delegacia, resolvi fazer essas palestras preventivas direcionadas aos homens”, afirma o delegado.

Já a investigadora Gislene Cabral, da Delegacia da Mulher de Rondonópolis, apresentou a palestra “Violência contra a mulher não tem graça: fere o corpo e a alma”. “Um levantamento mostrou que muitas das vezes o homem que agredi a mulher está sob efeito de bebida alcoólica ou outras substâncias lícitas ou ilícitas”, apontou Gislene.

Sandra Costa/Assessoria

Para o coronel Anderson Pinto, sub-comandante do 18º GAC as palestras foram de grande importância porque muita das vezes existe o conhecimento da lei, mas não da prática. “E o delegado e a investigadora trouxeram essa vivência, com exemplos que podem alertar todos quanto às suas condutas bem como quanto ajudar outras pessoas. Para a gente foi um grande dia, de aprendizado e agradeço muito ao delegado Claudinei e sua equipe por essa oportunidade”, agradeceu o coronel.

Por fim, o deputado estadual Delegado Claudinei reforçou a necessidade das ações de combate à violência doméstica, uma vez que em Mato Grosso os números são altos. Dados da Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal (CEAC) da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) divulgados na semana passada no portal do governo do estado, mostrou que entre janeiro e setembro de 2019 foram registrados em Mato Grosso 36 casos de feminicídio. Segundo o levantamento, houve um aumento de 5,8% em relação ao mesmo período de 2018, quando foram contabilizadas 34 ocorrências. No ano passado, de janeiro a dezembro, no total houve 42 feminicídios no estado.

“Neste ano fizemos várias ações com palestras de combate à violência contra a mulher, também apresentamos indicações e projetos de lei, como o botão do pânico, que foi aprovado em segunda votação na Assembleia Legislativa e agora segue para a sanção do governador Mauro Mendes. São ações extremamente importantes porque o nosso estado em 2017 teve a segunda maior taxa de Feminicídio no país”, finalizou Claudinei.