Indea define regras sanitárias para entrada de animais na Exposul

Indea define regras sanitárias para entrada de animais na Exposul

O Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso se reuniu com os representantes das Comissões responsáveis pelos eventos que envolvem exposição ou venda de animais durante a 47ª Exposul.

Entre os assuntos da pauta, a definição das regras que envolvem a cavalgada, os leilões, a exposição de animais e comercialização de produtos de origem animal, todos devem ter certificação do serviço de inspeção.

Representando o Indea, participaram Raphael Henrique Palha Ribeiro, médico veterinário; Estevão Galhego Mari, médico veterinário e fiscal estadual de defesa agropecuária e florestal e Victor Amorim, responsável pela unidade de Rondonópolis UVL – Unidade Veterinária Local.

O Sindicato Rural foi representado por Alberto Torremocha, diretor do Rodeio e Neurivaldo Antonio de Souza Júnior, da coordenação da Cavalgada e do Torneio Leiteiro; e a Empaer por Benjamim Silveira Neto, diretor da unidade de Rondonópolis. Pela prefeitura o secretário municipal de Cultura, Humberto de Campos representou também a equipe da Agricultura que está envolvida no projeto da Agricultura Familiar.

A gerente do Sindicato, Fabrízia Hinrichsen, explicou a respeito da programação da 47ª Exposul, dentro de todas as atividades que envolvem animais. “A maioria das regras já é de conhecimento das Comissões. A Exposul respeita à risca as determinações sanitárias do Indea, isso garante segurança para quem traz animais ou produtos de origem animal e, principalmente para os visitantes”, disse Fabrízia.

A princípio o representante local do Indea, Victor Amorim, solicitou informações sobre o rodeio; animais de argola; polícia montada e provas equestres, que ainda não estão definidas.

“Os requisitos de exigências sanitárias estão semelhantes aos do ano passado. Com reforço à questão da Brucelose. Por isso já solicitamos a reestruturação do acesso pelo Portão 5 do Indea. Precisamos afundar a área do rodolúvio para evitar que os produtos de desinfecção vazem pelas laterais com a passagem dos caminhões; além disso já solicitamos a limpeza e desinfecção do Parque com produtos específicos, a definição, a partir daí, o período de vazio sanitário e a disponibilidade de um espaço específico para que o Instituto funcione durante a Exposul, com toda a estrutura necessária”.

Fabrízia assegurou que todas as determinações serão atendidas para que a Exposul transcorra com a maior garantia de sanidade. “Já marcamos a data para a limpeza e desinfecção para essa sexta-feira, 21. A partir de agora o Parque está em quarentena e não recebe mais nenhum animal”, garante a gerente do Sindicato Rural, que afirmou ainda que tudo está sendo organizado para que expositores ou visitantes não tenham nenhum problema.