Gasp amplia fiscalização para coibir descarte ilegal de lixo

Gasp amplia fiscalização para coibir descarte ilegal de lixoGasp amplia fiscalização para coibir descarte ilegal de lixo
Wheverton Barros

Com a desativação de todos os ecopontos da cidade como o do bairro Sagrada Família e do Ana Carla, o Gabinete de Apoio à Segurança Pública de Rondonópolis (Gasp) iniciou o trabalho de fiscalização e vigilância 24h após a limpeza dos espaços.

A ação teve início no Sagrada Família e em um mês levou à prisão em flagrante feita pela Polícia Civil de seis pessoas que insistiram em jogar lixo em local proibido. As seis pessoas presas em flagrante passaram a responder por crime ambiental.

O coordenador do Gasp, Valdemir Castilho, Biliu, destaca que mais uma equipe de fiscalização e vigilância passou a atuar no antigo ecoponto do bairro Ana Carla 24 horas por dia para evitar que pessoas voltem a jogar lixo irregularmente no local que foi desativado e passou por limpeza.

A intenção é coibir que algumas pessoas mantenham o hábito de descartar lixo em locar inadequados e apostar na fiscalização por meio do apoio policial para impedir que esse tipo de crime ambiental persista na cidade.

Biliu informou ainda que as fiscalizações devem ter continuação e ser expandidas para áreas que se tornaram lixões à céu aberto. “O próximo passo é levar a fiscalização também para a entrada do Campo Limpo”, destacou.

Alternativas de descarte

O secretário municipal do Meio Ambiente, João Fernando Copetti Bohrer, ressaltou que até que os novos ecopontos não ficam prontos, restos de materiais de construção devem ser descartados no antigo lixão da Mata Grande e restos de podas de árvores e gramas na Rodovia do Peixe, na entrada próximo aos fundos da ADM.