Expediente deve ser retomado após explosão que matou 2 na ALMT

| guiratinga | prefeitura amplia distribuição de água no distrito do alcantilado

O expediente na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) deve ser retomado ao meio-dia desta segunda-feira (16), após a explosão que matou duas pessoas e deixou outras duas feridas, na última sexta-feira (13). Segundo a assessoria da ALMT, a equipe de peritos da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) concluiu os levantamentos no local do acidente durante o final de semana e liberou o local. Quatro pessoas faziam a instalação de um carpete quando houve a explosão do gabinete 114. As vítimas sofreram queimaduras e inalaram gases tóxicos.

Nesta manhã a ALMT informou que as instalações e acessos ao primeiro andar do prédio vão passar por limpeza, já que estavam interditadas desde a noite no dia do acidente. O trabalhador de 27 anos, que teve 80% do corpo queimado, continuava internado nesta segunda-feira na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá (PSMC).

Na madrugada de domingo (15) Jhonatan Bruno Paes, de 24 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu na UTI da capital. O velório ocorreu na casa de familiares no Bairro Parque do Lago, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá. Segundo o tio de Jhonatan, Paulo Pedro Francisco, os parentes da vítima estão abalados. O corpo de Jhonatan foi enterrado no mesmo dia na cidade.




“A gente espera justiça porque acreditamos que a partir de uma investigação pode chegar à conclusão do que causou [o acidente]. Não queremos culpar ninguém, muito pelo contrário, queremos que a justiça seja clara e o que levou à explosão. É uma dor muito grande e esperamos que isso seja esclarecido”, pontuou.

O velório da outra vítima, de 28 anos, está sendo feito na manhã desta segunda em uma igreja evangélica do Bairro Parque do Lago. Ainda não há informações sobre o horário do enterro. A quarta vítima foi liberada no dia do acidente, já que não estava tão próxima ao local da explosão.

Explosão

Na noite de sexta-feira os trabalhadores de uma empresa terceirizada faziam a aplicação do carpete dentro do gabinete 114 e o polimento do piso, quando ocorreu o acidente. De acordo com o Corpo de Bombeiros, as vítimas usavam produtos inflamáveis e cola durante o procedimento. A explosão ocorreu quando o produto teve contato com uma das máquinas de limpeza. Inicialmente, a Polícia Civil acredita que o caso seja um acidente de trabalho.