Empresário garante que Malcom fica no Corinthians até o fim do ano




Representantes do Braga, de Portugal, vão desembarcar ainda nesta semana em São Paulo para conversar com o Corinthians sobre Malcom e Matheus Pereira. Mas não há risco de o atacante ser vendido nesta janela de transferências, que termina na próxima segunda-feira.

A garantia é do empresário de Malcom, Fernando Garcia. “Ele não sai do Corinthians antes de dezembro. Como parceiro, tenho de pensar no bem do clube e não dá nem para imaginar a hipótese de desfalcar o ataque do Corinthians depois da contusão do Luciano”, diz o empresário, que é corintiano assumido — ele chegou a ser conselheiro vitalício, mas abriu mão por causa de sua atuação no futebol.

“A venda tem de ser boa para os dois lados e, se eu vendesse o Malcom agora, certamente faria muito mal para o time no restante do Brasileirão”, diz.

Em julho, os portugueses ofereceram R$ 28 milhões pelo atacante. Dono de 30% dos direitos econômicos do atleta, o Corinthians ficaria com pouco mais de R$ 8,4 milhões. “Eu e o Andrés Sanchez entendemos que o melhor seria recusar a proposta. A partir do ano que vem, a conversa pode mudar. Mas, agora, não tem acordo”, acrescenta Garcia, referindo-se ao superintendente de futebol e ex-presidente do Timão.

Malcom atuou em 14 das 20 partidas da equipe no Brasileirão, todas como titular — ele só esteve ausente enquanto servia a seleção sub-20. No Corinthians, já formou dupla de ataque com Vagner Love e Luciano e anotou um único gol.

“Achei que o Malcom havia caído de rendimento nos últimos jogos, mas, felizmente, foi muito bem contra o Cruzeiro. A equipe inteira jogou demais”, avalia Garcia, animado com o triunfo por 3 a 0, que manteve os comandados de Tite com quatro pontos de vantagem para o vice-líder Atlético-MG. A diferença para o Palmeiras, primeiro time fora do G4, já é de folgados 12 pontos.

Reajuste: Antes do assédio português, o Corinthians já havia melhorado consideravelmente a situação de Malcom, de 18 anos. O atacante, que ganhava R$ 9 mil mensais, tem desde março salário de R$ 70 mil. O vínculo também foi estendido até dezembro de 2020, enquanto a multa rescisória passou a ser de R$ 75 milhões.

Matheus Pereira, que também tem Fernando Garcia como empresário, é outro que permanecerá um pouco mais no Parque São Jorge. “Quero vê-lo jogando como titular. Esse menino tem potencial para ser melhor do mundo”, avisa.