Colégio Notre Dame vai confeccionar protetores faciais em parceria com a UFMT

Expectativa é de contribuir para que sejam confeccionadas 1 mil protetores faciais até a próxima sexta-feira (03.04). A distribuição será feita pelo Conselho Regional de Medicina (CRM)

Professora Marina Lara - Notre Dame/Ilustrativa

O Colégio Notre Dame de Lourdes, de Cuiabá (MT), fechou uma parceria com o Departamento de Arquitetura da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e começa nesta quarta-feira (01.04) a cortar acrílico na cortadora laser da Sala Maker para a confecção de protetores faciais a serem distribuídas a hospitais públicos do Estado. O objetivo é contribuir com a segurança dos profissionais de saúde que estão cuidando de pacientes infectados pelo novo coronavírus.

Este projeto solidário é uma parceria entre a UFMT, a Secretaria Estadual de Saúde (SES), Fundação Uniselva, Hospital Universitário Júlio Müller (HUJM/UFMT), Hospital Geral Universitário (HGU/UNIC), o Conselho Regional de Medicina (CRM), que fará a distribuição das máscaras, pessoas físicas e jurídicas que queiram doar material ou serviço, a exemplo do Colégio Notre Dame de Lourdes.

As máscaras serão finalizadas no Departamento de Arquitetura da UFMT sob a coordenação do professor Maurício OIiveira. De acordo com a professora de Ensino Religioso do Ensino Médio do Notre Dame, Marina Lara, a expectativa é contribuir para que sejam produzidas até 1 mil unidades até a próxima sexta-feira (03).



O material utilizado é chapa de acrílico 4mm, podendo ser transparente ou opaca. O projeto está recebendo doação de material por meio do Edital Nº 06/2020
– Doação de recursos, materiais/produtos, bens e/ou serviços para ações extensão de enfrentamento ao Covid-19 da Universidade Federal de Mato Grosso.  Quem puder contribuir poderá entrar em contato pelos e-mails profmarinalara@gmail.com e oliveiramauricio@gmail.com.

Nesta terça-feira (31.03), as professoras Marina Lara e Lilian Moreal acompanharam o professor Maurício Oliveira em uma visita à Sala Maker pra avaliar as possibilidades de produção. “Fizemos um protótipo, um modelo de como o protetor ficaria, e vimos que será possível auxiliarmos nos cortes das chapas de acrílico. Calculamos que podemos fazer de 300 a 400 cortes por dia, enquanto a outra equipe já trabalha firme na UFMT”, informa Marina.

Inspiração na Santa Emilie

Em 2018, o Colégio Notre Dame de Lourdes enviou um grupo de professores para São Paulo onde participaram de uma formação maker, por meio da qual aprenderam a manusear os equipamentos 3D e o projeto desenvolvido pelo professor Maurício Oliveira acabou sendo inspiração para que a escola oferecesse a máquina para contribuir no recorte do acrílico para a confecção dos protetores.

“Enquanto preparava uma aula sobre o papel de Jeanne Emilie de Villeneuve, hoje Santa Emilie, na epidemia de cólera que atingiu Castres em 1854, comecei a me perguntar no que consistia o papel da escola enquanto comunidade educativa no meio desta pandemia de COVID-19”, relata a professora Marina Lara.

Ela observa que, providencialmente, todos estão se resguardando para evitar a contaminação pelo novo coronavírus. “Mas, a necessidade de uma ação prática estava latente. Foi então que surgiu a ideia de parceria com o projeto do professor Maurício e a direção da escola abraçou prontamente a causa”, conta.

A diretora do Colégio Notre Dame de Lourdes, Irmã Marluce Almeida, diz que a instituição acolheu esta proposta como um presente.

“Nós compreendemos que a nossa proposta filosófica é uma proposta humanitária e nos sentimos muito felizes em poder participar desta iniciativa e de alguma maneira estar junto dessa equipe de frente. É um gesto que simboliza dizer para os profissionais da saúde que estamos com eles, que eles recebam o nosso carinho, a nossa solidariedade e a nossa oração”.

O colégio Notre Dame de Lourdes reconhece a iniciativa do Laboratório de Arquitetura e Urbanismo da UFMT (Lab.au), e agradece imensamente a oportunidade de contribuir com esse projeto social enriquecedor!