Ciclo de Palestras Aeagro na 46ª Exposul discuti máxima produtividade e análise de ambientes de produção

Aeagro abre os trabalhos da Vitrine Agropec 2018

Com o auditório da 46ª Exposul lotado com mais de 300 participantes, na tarde desta terça feira aconteceu o 3º Ciclo de Palestras da Associação dos Engenheiros Agrônomos da Grande Rondonópolis (Aeagro), que abriu os trabalhos da Vitrine Agropec 2018.

Em destaque palestras com o foco na máxima produtividade da soja no Brasil e ambientes de produção.

O coordenador técnico do Comitê Estratégico Soja Brasil, o engenheiro agrônomo João Augusto Pascoalino, apresentou as diferentes técnicas para se chegar à máxima produtividade e evidenciou cases de sucesso e falhas em ambientes de produção agrícola no Mato Grosso e em âmbito nacional.

Para Pascolino, todos os fatores que envolvem a máxima produção de soja devem ser considerados de forma conjunta, sem uma separação de ações ou analises.

“Por exemplo, trazendo para nossa área, quando alteramos um fator produtivo eu vou desencadear uma resposta negativa ou positiva em outros fatores que estão inseridos na cadeia como um todo.

Dentro de um sistema produtivo de forma generalizada temos os fatores clima, solo, planta e o fator manejo e temos que considera isso num pacote como um todo”, explicou.

Na segunda palestra da tarde, o engenheiro agrônomo, consultor e campeão nacional do Desafio de Máxima Produtividade de Soja no ano de 2015, João Paulo de Sá Dantas destacou a importância para o produtor rural se informar de forma criteriosa, por que segundo ele, existe muita informação sem embasamento ou pesquisa fundamentada a disposição.

“A informação sobre máxima produtividade precisa ser de qualidade e de fontes confiáveis, por que em minha opinião esse é o grande problema atualmente, por que estamos em uma situação de fake news , além da divulgação está mais fácil pelas redes sociais, na minha visão uma informação errada pode direcionar o produtor para um caminho sem volta e podendo prejudicar todo um trabalho de anos”, alertou João Paulo.

Uma das parcerias firmadas para a realização do ciclo de palestras foi com Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat), para o presidente da entidade, Gutemberg Carvalho Silveira, o evento mostrou que a tecnologia está presente na Exposul. “A feira não é só festa e esta tarde provou isso com o auditório lotado, com palestrantes altamente capacitados e transmitindo um pouco do que eles conhecem para um público bem diversificado de produtores rurais, profissionais da área e estudantes”, comento.

Para o vice-presidente da Aeagro, Marcelo Capellotto, o  3º Ciclo de Palestras superou as expectativas com mais de 350 inscritos e duas palestras que agradaram o público trazendo muita informação, além de analises atuais do processo de máxima produtividade.

“O que podemos avaliar é que os presentes ficaram satisfeitos com o evento, dois jovens palestrantes que nos propiciaram em uma tarde de muito conteúdo e dados técnicos sobre o tema e para os próximos ciclos de palestras pretendemos manter este nível de qualidade apresentado” finalizou.

Este ano o ciclo de palestras tem o patrocínio da Aprosmat, Bayer e Fast Agro e tem o apoio da Associação para o Fomento à Pesquisa de Melhoramento de Sementes Forrageiras (Unipasto), Sindicato dos Produtores Rurais de Rondonópolis, Instituto Matogrossense do Algodão (IMA mt), Plantare, Embrapa, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato (Crea-MT) e CESB.