Brasil cria barreira de proteção sanitária na fronteira com a Venezuela

brasil cria barreira de proteção sanitária na fronteira com a venezuela

Por conta da descoberta de novos focos de febre aftosa na Colômbia, o governo brasileiro reforçou a fiscalização e criou uma barreira de proteção sanitária na fronteira brasileira com a Venezuela. A decisão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) ocorreu pela extensão territorial entre os colombianos e venezuelanos.

Com a barreira, o trânsito de veículos e pessoas que circulam com produtos de origem animal in natura no município roraimense de Pacaraima, na fronteira com a Venezuela, está sob fiscalização. São três equipes permanentes: uma na entrada da cidade, outra na saída, e mais uma em possíveis passagens clandestinas.

Segundo a chefe do Setor de Fiscalização Agropecuária da Superintendência Federal de Agricultura de Roraima (SFA/RR), Terezinha Brandão, a ação é por tempo indeterminado. O Mapa está monitorando, por meio de boletins, a evolução das medidas adotadas pela Colômbia para conter a proliferação do vírus.

O reforço na fiscalização ocorre porque a Venezuela tem extensa fronteira com a Colômbia. A medida objetiva garantir não só a sanidade do gado de Roraima, mas também a do restante do País. O estado tem cerca de 800 mil cabeças de gado e foi declarado como livre de aftosa pelo Mapa em abril deste ano.