“Agosto Dourado” destaca os benefícios da amamentação para a saúde da criança em Várzea Grande

Picture of Secom/VG

Secom/VG

“Agosto Dourado” destaca os benefícios da amamentação para a saúde da criança em Várzea Grande

Compartilhe:

O ‘Agosto Dourado’ é o mês escolhido pelo Ministério da Saúde, para conscientizar a sociedade sobre os benefícios do leite materno, alimento considerado ouro pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A Saúde Municipal de Várzea Grande promoveu ação de abertura oficial, do mês, na comunidade rural Souza Lima, considerada referência no atendimento primário à mãe e ao bebê, na manhã de sexta-feira(4).

Várzea Grande, adotou na Saúde Pública a estratégia AIDPI, que significa Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância componente criança (AIDPI Criança), ou seja é utilizada para reduzir a mortalidade infantil por meio do auxílio de profissionais de saúde que atendem a crianças, cujo profissional é o enfermeiro, e já ocorre em todas as unidades da atenção primária do município.

Para o secretário municipal de Saúde, Gonçalo Aparecido de Barros, esta nova condução no atendimento às mães e as crianças, somam com as atividades programadas para o ‘Agosto Dourado’, visto que na Atenção Primária, existe a área técnica da Saúde da Criança, que trabalha no enfrentamento e redução da mortalidade infantil.

“Consagrado como o melhor e mais completo alimento, o leite materno é fundamental para a saúde e o desenvolvimento de bebês, ele fortalece o sistema imunológico, diminui os riscos de obesidade, de desenvolvimento de diabetes, casos de diarreia, infecções respiratórias, hipertensão e colesterol alto, além de reduzir em 13% a mortalidade por causas evitáveis em crianças menores de cinco anos. O Ministério da Saúde recomenda manter o aleitamento materno até os dois anos de idade ou mais, devendo ser o alimento exclusivo até os seis meses de vida”, disse o secretário.

Explicando que as políticas de Saúde aplicadas na Atenção Primária à Saúde de Várzea Grande cuida das mães o dos bebês, desde a hora que nasce, com imunizantes, incentivo ao aleitamento materno, acompanhamento do crescimento – peso e medida – e no combate à desnutrição infantil e o seu nascimento acontece no Hospital Municipal Materno Infantil do município.

Para o superintendente de Atenção Primária à Saúde, Geovane Renfro, o ‘Agosto Dourado’, cumpre uma meta de saúde de evitar a mortalidade infantil.

“Pois a amamentação é iniciada logo após o nascimento do bebê o pode diminuir a mortalidade neonatal, aquela que acontece até o 28º dia de vida, e para as mulheres reduz o risco de desenvolvimento do câncer de útero e câncer de mama. De acordo com os últimos Estudos Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil do Ministério da Saúde, mais da metade (53%) das crianças brasileiras continuam sendo amamentadas no primeiro ano de vida. Entre as menores de quatro meses, 60%, e para as crianças de seis meses de vida o índice de amamentação exclusiva cai para 45,7%. Quase todas as crianças foram amamentadas alguma vez (96,2%), sendo que dois a cada três bebês ainda na primeira hora de vida. Por estes dados temos que incentivar ainda mais as mães a amamentar seus bebês, dentro das recomendações da Saúde Pública”, disse ele.

O secretário municipal de Saúde, Gonçalo Barros, ressalta ainda que o impacto da amamentação é altamente positivo para a saúde do bebê, pois é possível passar os anticorpos da mãe, que protegem a criança contra diversas doenças.

“Esse leite possui todas as propriedades que um bebê necessita, e sem custo algum para a família. Precisamos incentivar e apoiar essa causa para que, cada vez mais, o aleitamento materno faça parte da vida dos nossos bebês”, disse.

Ele acrescenta que a amamentação ajuda, ainda, na redução do tempo de internação quando o bebê necessita de cuidados intensivos. “Além disso, propicia um maior vínculo entre mãe e filho”, completou o secretário.

O Superintendente Geovane Renfro, explica sobre as várias estratégias que incentivam o aleitamento materno, dentro das políticas públicas municipais, entre elas, o acolhimento das mães nas unidades básicas, onde recebem todas as informações sobre a amamentação.

“Os Bancos de Leite Humano são acionados também quando os bebês não podem ser alimentados pelas mães por alguma razão. Porém com objetivo de sensibilizar quanto às estratégias que buscamos promover, proteger e apoiar o aleitamento materno, promovendo neste mês eventos destinados às mães, e forneceremos todas as informações e acompanhamento, desde a gestação da mãe, o nascimento até o crescimento das crianças nascidas em Várzea Grande”, disse ele.

Confira mais fotos

Deixe um comentário

+ Acessados

Veja Também

Quer ser o primeiro saber? Se increve no canal do PH no WhatsApp