1º implante no cérebro para quimioterapia do câncer no sistema nervoso é feito em Cuiabá

1º implante no cérebro para quimioterapia do câncer no sistema nervoso é feito em cuiabá

Cuiabá passa a oferecer mais uma técnica nova no combate ao câncer no sistema nervoso central, que já é usada nos grandes centros do mundo. É a implantação do reservatório de Ommaya, um dispositivo, em forma de cúpula, colocado por sob o couro cabeludo, para acesso ao ventrículo lateral do cérebro através de um cateter, e destinado a aplicação de quimioterapia intratecal.

A cirurgia foi realizada no Hospital Amecor pela equipe do neurocirurgião Dr. Roger Rotta e o neurocirurgião assistente Dr. Átila Monteiro Borges. “Esse procedimento é feito em vários países. Entre essas equipes está a minha que abriu essa nova opção de tratamento para pacientes com câncer no sistema nervoso central sem precisar passar por punções lombares diárias, que são dolorosas e aumentam o risco de infecção em pacientes imunossuprimidos, para injetar a quimioterapia. Com o reservatório que é implantado na cabeça, a medicação é inserida através dele e chega ao sistema nervoso central de forma ágil e eficiente garantido uma maior concentração e eficácia do quimioterápico visando uma melhor qualidade de vida para o paciente que precisa passar pelo tratamento. É um procedimento muito utilizado em crianças”, comenta o neurocirurgião Roger.

Segundo o Dr. Rotta, a principal vantagem da técnica é que os quimioterápicos tem uma dificuldade de ultrapassar a barreira hematoencefalica quando administrado por via sistêmica, diminuindo assim o efeito no SNC, com essa técnica a medicação consegue chegar com elevada concentração independentemente de suas propriedades físico-químicas, ou seja, é mais eficaz que a quimioterapia por via sistêmica.