Guilherme Maluf homenageia o poeta Manoel de Barros

temer já está na restinga da marambaia, onde passará o réveillon

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Guilherme Maluf, apresentou uma moção de louvor ao poeta cuiabano Manoel de Barros, cujo centenário foi comemorado ontem (19). Em sua justificativa, o deputado destaca que o ato de louvar é aplauso, elogio.

Apologia de uma obra meritória. Por isso se faz necessária a apresentação da moção de louvor para celebrar a memória e a obra do poeta Manoel de Barros.

Prevista no parágrafo único do Art. 185-A do Regimento Interno desta Casa de Leis, a moção de louvor é utilizada poucas vezes, ao contrário das moções de aplausos e de congratulação. É necessária uma situação tão importante quanto esta para justificar a concessão desta honraria.

Manoel José Leite Barros (Cuiabá, 19 de dezembro de 1916 — Campo Grande, 13 de novembro de 2014) foi um poeta cuiabano do século XX, pertencente, cronologicamente, à Geração de 45, mas formalmente ao pós-Modernismo brasileiro, se situando mais próximo das vanguardas europeias do início do século, da Poesia Pau-Brasil e da Antropofagia de Oswald de Andrade.

Com 13 anos, ele se mudou para Campo Grande (MS), onde viveu pelo resto da sua vida. Recebeu vários prêmios literários, entre eles, dois Prêmios Jabuti e foi membro da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras. É o mais aclamado poeta brasileiro da contemporaneidade nos meios literários.

Enquanto ainda escrevia, Carlos Drummond de Andrade recusou o epíteto de maior poeta vivo do Brasil em favor de Manoel de Barros. Sua obra mais conhecida é o "Livro sobre Nada", de 1996.

Segundo Vinícius H. Masutti, “Manoel de Barros é um dos maiores poetas de nossa língua (falo da língua dos homens). Ele não é gênio e nem pretende ser, apenas escreve as coisas que vê, e tenta fazer com que o leitor veja também. Ser criança é uma fase da vida que passa, mas deixar de viver nossa infância é uma escolha triste que alguns fazem“.

Nestes termos, apresento aos nobres pares, a presente proposição legislativa, aos quais peço, nesta oportunidade, o devido apoio para a sua regimental acolhida e merecida aprovação, para que possamos fazer esta simples, porém merecida homenagem, disse o deputado Maluf.