Deputado cobra retomada imediata de transplantes em MT

O estado é uma das 6 unidades da Federação que não faz cirurgia renal. Hoje já existe hospital habilitado para realizar o procedimento.

Dr. João pede Operação Tapa-Buracos nas MTs 246 e 358
JL Siqueira/ALMT

Médico responsável por realizar a primeira cirurgia renal da história de Mato Grosso, na década de 90, o deputado estadual Dr. João José (MDB) cobrou a retomada imediata dos transplantes de rim. No Dia Mundial do Rim, celebrado nesta quinta-feira (14), o médico nefrologista lembrou a importância da prevenção e do tratamento para melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Dr. João citou pesquisas que revelam que tem aumentado o número de pessoas com doenças renais, afetando em torno de 850 milhões em todo o mundo, sendo 12 milhões no Brasil. Um estudo da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) aponta um índice alarmante de crescimento de 8% ao ano de casos de doenças renais.

O deputado revelou que Mato Grosso está no caminho para retomar as cirurgias. “Eu acredito que poderemos ter boas notícias em breve. Tenho falado muito com o governador Mauro Mendes e com a primeira dama Virginia Mendes, dizendo que Mato Grosso tem profissionais aptos a retomar as cirurgias paradas há mais de 10 anos. A Secretaria de Saúde, comandada pelo Gilberto Figueiredo, como costumo dizer, está com a bola ‘na cara do gol’ resolvendo questões burocráticas para dar o início a essa iniciativa tão positiva, que vai ajudar tanta gente que faz hemodiálise”, afirmou o deputado.

Reportagem do jornal A Gazeta mostra que Mato Grosso está entre os seis estados brasileiros que não realizam o transplante. Mesmo habilitado, há 10 anos os procedimentos estão suspensos. A expectativa é que os transplantes devam ser realizados no Hospital Santa Rosa, que já foi credenciado para operar por convênio pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

“Antes os transplantes eram realizados por nossa equipe no Hospital Geral Universitário (HGU). Fazíamos com amor, com profissionalismo, porque entendemos a importância desses procedimentos para melhorar a vida das pessoas que fazem tratamento de hemodiálise. Com a cirurgia, o paciente consegue viver com mais qualidade, sendo acompanhado pela equipe médica e fazendo o tratamento farmacológico”, lembrou Dr. João.

Dados apontam que aproximadamente 1,9 mil pessoas realizam Terapia Renal Substitutiva (TRS) no estado. Dessas, estima-se que 50% tenham indicação para transplante renal. Ainda conforme a reportagem do jornal, a previsão do governo do estado é que nos próximos 40 dias os pacientes em TRS comecem a ser avaliados para indicação aos transplantes, mesmo que não exista uma previsão oficial para a retomada das cirurgias.

Aos que estão saudáveis, para se prevenir, o Dr. João recomenda que as pessoas tenham hábitos saudáveis de vida. As pessoas devem consumir diariamente mais água em boas condições, além fazer exercícios físicos, controlar o tabagismo e a obesidade, bem como ter uma dieta saudável.

“No nosso Gabinete da Saúde na Assembleia Legislativa, que fica na sala 118, as pessoas podem receber orientações sobre doenças renais e sair de lá com um belo copo de água gelada. Porque beber água é a melhor forma para evitar o surgimento de doença renal”, comentou.