Vinicius supera tumor, encontra jogadores do Athletico e se emociona

Fanático pelo Furacão, jovem não pôde assistir final da Copa do Brasil para tratar tumor na coluna

André Borges/CBF



Quantas batidas de um coração um título é capaz de causar? Vinicius estava no leito de um hospital quando ligou a televisão. Em campo, estava o seu time, o Athletico Paranaense, disputando a final da Copa do Brasil.

Sem poder ver a maior parte do jogo, o jovem de 21 anos conseguiu assistir ao mágico drible de Marcelo Cirino, que terminou no gol de Rony, coroando a conquista do título. Naquele momento, as máquinas do hospital apitaram incessantemente e fizeram o pronto diagnóstico: havia ali um forte coração rubro-negro.

A emoção voltou a tomar conta de Vinicius nesta quinta-feira, quando ele encontrou seus heróis no Aeroporto Internacional de Brasília, na chegada para a disputa da Supercopa do Brasil.

Em meio a dezenas de flamenguistas, o solitário athleticano chegou ao terminal de cargas sem muitas esperanças. Sonhava com um aceno ou com a visão, à distância, de um de seus ídolos. Como estava sozinho, no entanto, o jovem foi liberado para entrar e ter um contato ainda mais próximo com os jogadores.

– Meus amigos flamenguistas foram para o hotel e eu fiquei. Consegui chegar mais perto do ônibus, tirar foto. Eu não estava muito confiante. Achei que eles não iam sair pela saída normal. Estou nervoso, só vejo eles pela TV – contou.

Vinicius passou por uma cirurgia para a retirada de um tumor na coluna no dia da decisão entre Internacional e Athletico Paranaense, pela Copa do Brasil. Em período pós operação, não pôde assistir à partida desde o começo. Mas conseguiu ver a parte que mais importava: a celebração do título, que se misturou entre os analgésicos para aliviar a dor após a cirurgia.

– No dia da final, eu estava fazendo a cirurgia. Não consegui assistir ao jogo. Acabou a cirurgia, eu estava me recuperando. Liguei a TV, foi a caneta do (Marcelo) Cirino, só vi esse lance. Depois do título, fiquei uns três ou quatro dias me recuperando, mas foi só festa. Doía um pouco, incomodava, mas tinha a alegria de ter sido campeão. O coração disparado, os aparelhos lá batendo.

No próximo domingo, Vinicius estará no Mané Garrincha para apoiar o Athletico Paranaense e torcer pelo título da Supercopa do Brasil. Dessa vez, desde o começo do jogo, para o coração bater ainda mais forte.

Vinicius durante o desembarque do Athletico Paranaense
Créditos: André Borges/CBF

Vinicius e Léo Cittadini, herói do título da Copa do Brasil
Créditos: André Borges/CBF