Valorização da cultura e produção local movimentam Feira do Empreendedor em Rondonópolis

mais de 158 mil veículos devem passar pela br-163 durante o réveillon

Para dar oportunidade aos empreendedores locais, o Sebrae reservou um espaço na Feira do Empreendedor chamado Empório: Valorize o que é nosso. “A intenção é criar oportunidades para que o pequeno empreendedor da região amplie o contato com consumidores e até potenciais revendedores da sua marca”, explica a gerente do Sebrae em Rondonópolis, Erika dos Santos Silva. Participam do Empório cerca de 20 expositores de produtos variados, como Ivanilton Lopes, que vende café há 12 anos em Rondonópolis.

Além de incentivar o comércio, a Feira também promove a cultura local. O grupo de dança Líder de Artes, do casal Sarah e Paulo Venâncio, que está há mais de 30 anos no mercado, acredita que a Feira pode incentivar novos adeptos. A programação das apresentações podem ser conferidas no sitewww.feiradoempreendedormt.com.brou pelo celular. Para isso, adicione o WhatsApp 66 9968 7108, diga Oi e siga os passos do sistema que é automático. Informações pelo 0800 570 0800 e o credenciamento antecipado pode ser feito no site:www.mt.sebrae.com.br.

Confira alguns depoimentos dos expositores locais:




Ivanilton Lopes da Silva, o “Ivan”, Café da Feira

“Sou empresário em Rondonópolis há 12 anos. A história do Café na Feira começou após eu sair do trabalho onde eu estava há 15 anos. Primeiramente, pensei em montar a minha própria torrefação, mas não deu certo. Então, em uma viagem para São Paulo conheci uma mulher que moía café na porta de uma agência bancária. Pensei em seguir por esse caminho. Consegui uma máquina da empresa que havia trabalhado e fui para uma esquina no centro da cidade. E no primeiro dia, vendi 25 quilos de café. Fui para Feira. Moía o café, amarrava em um saquinho plástico transparente e o vendia. Até que chegou a um ponto em que as pessoas procuravam e pediam o “Café da Feira”. Hoje, temos 72 máquinas de moer café e estamos em vários mercados de Rondonópolis, Cuiabá e Várzea Grande. AFeira do Empreendedorvem somar para o pequeno empresário que precisa de incentivo para lançar o seu produto. Não é fácil conquistar mercados. Eventos assim facilitam que o consumidor e possíveis empreendedores gostem do produto que oferecemos”.

Rodrigo Eduardo Gunha, Cervejaria Rondonópolis

“A Cervejaria Rondonópolis tem dois anos. Eu queria fazer negócio, mas eu só sabia fazer cerveja. Temos a proposta de agradecer e homenagear a cidade e planos de ampliar o número de funcionários. Para sobreviver no mercado, precisamos acreditar no produto que oferecemos, acreditar no negócio, ter força de vontade para fazer todo o processo com calma e planejamento. Aí que entra a participação do Sebrae. AFeira do Empreendedorincentiva, oxigena o empreendedor que precisa demonstrar o seu produto e perceber a resposta do público”.

Luiz Felipe Luna, My Happy Pop

A história da My Happy Pop começou há dois anos com uma empreendedora de Primavera do Leste, que viajou para os Estados Unidos, onde o tipo de pipoca é muito consumido. Pesquisou e decidiu trazê-la para Mato Grosso juntamente com o maquinário importado. O produto está sendo distribuído em municípios de Mato Grosso e de Mato Grosso do Sul. Estamos planejando alcançar outros mercados, com São Paulo. Para abrir um novo negócio, o interessado precisa ter um espírito empreendedor. Participar de feiras e eventos do segmento ajuda a divulgar a marca, verificando as tendências e a situação do mercado”.

José Maria Pereira Gonçalves, Culinária Portuguesa Com Certeza

“A Culinária Portuguesa Com Certeza surgiu entre amigos, quando cozinhava bacalhau e servia para eles. Eles aprovaram e incentivaram que eu montasse o meu próprio negócio. Começamos a trabalhar então no início desse ano e temos crescido mês após mês. Estamos nos principais mercados de Rondonópolis, Campo Verde e Primavera do Leste. Participar da Feira do Empreendedor é uma boa experiência e estamos focados na divulgação da marca”.

Tânia Sasaki, Sasaki – massa para tapioca

“Eu conheço tapioca desde criança e percebi que em Rondonópolis tinha carência de um produto que fosse mais natural, menos industrializado. A empresa surgiu há um ano e nossa expectativa é crescer cada vez mais e atingir novos mercados. A experiência na Feira do Empreendedor contribuí para o crescimento da empresa. Estamos conseguindo a divulgar mais o nosso produto e estabelecer novos contatos e clientes”.

Adriana Maria Lopes, Tia Su – farofas artesanais

“Eu trabalhei com construção civil por 12 anos. Morei em nove cidades, quatro estados, mas decidi voltar para Rondonópolis e investir em algo na área de alimentos. A minha mãe Sueli, que sempre cozinhou muito bem, começou a comercializar farofa de castanha para parentes e amigos. O produto era embalado em casa e tinha uma etiqueta escrito Tia Su. Eu percebi que as pessoas procuravam pelo produto. Então, decidi que esse poderia ser um mercado. e manter o nome da marca. Procurei investir na aparência e qualidade do produto. Em apenas um dia de Feira, tivemos bons resultados e bastante visita, tanto de pessoas físicas como de alguns representantes do comércio da cidade”.

Juliana Ribeiro, Trigos – pães caseiros

“Estamos no mercado há cinco anos, quando comecei a fazer os pães e vender no mercado da minha irmã. Atualmente, estamos em todos os mercados de Rondonópolis. O primeiro dia de feira foi muito bom. Estamos na expectativa de aumentar a comercialização do produto”.

No sábado (7), último dia de evento, está programada a palestra “criatividade para a solução de problemas”, que será conduzida por Murilo Gun. Os participantes também poderão conhecer mais sobre a evolução digital e financeira para pequenos negócios, além de dicas de como fazer do crédito um aliado, não uma armadilha.