Vacina quadrivalente contra a gripe atinge 4 cepas diferentes do vírus

Vacina quadrivalente contra a gripe atinge 4 cepas diferentes do vírus

Todos os anos as pessoas dos grupos prioritários recebem a vacina trivalente contra a gripe (Influenza) que protege contra três tipos de vírus que causam gripe: H1N1, H3N2 e a cepa B.

Já a quadrivalente ou tetravalente protege contra quatro tipos de vírus, sendo duas cepas da linhagem A (H1N1 e H3N2) e duas da linhagem B (Victoria e Yamagata).

A diferença é que a tetravalente é mais completa, porém não é oferecida na rede pública, somente na rede particular de clínicas de vacinação.

Ambas vacinas são recomendadas, igualmente eficazes e de grande importância na redução de casos graves causados pelo vírus Influenza.

Atualmente, a variante da H3N2 em circulação é conhecida como variante Darwin e, a atual vacina da gripe de 2022 possui na composição essa cepa,  protegendo a população e ajudando assim, na redução da circulação do vírus, reduzindo o risco de infecção.

QUEM DEVE TOMAR A VACINA:

Devem tomar todas as pessoas acima de 6 meses, principalmente as pessoas que possuem o sistema imunológico mais debilitado e são do grupo de risco como:

Profissionais de saúde;

Crianças;

Idosos;

Portadores de doenças crônicas, como diabetes, asma ou bronquite;

Pessoas imunodeprimidas devido a doenças, como infecção pelo HIV e câncer;

Transplantados;

Portadores de alterações genéticas, como é o caso da trissomia do cromossomo 21, característico da Síndrome de Down;

Portadores de alterações cardíacas, renais, neurológicas, hepáticas e/ ou respiratórias crônicas;

Gestantes e mulheres até 45 dias após o parto;

Professores do ensino básico e superior;

População indígena.

EFEITOS COLATERIAIS

As reações da vacina da gripe mais comuns são, dor, vermelhidão e dor no local da aplicação da vacina, podendo esses sintomas durarem até 48 horas. Em alguns casos, pode haver episódio de febre e mal-estar, parecidos com os sintomas de um resfriado, o que faz com que as pessoas confundam e achem que é a doença, mas são sintomas que costumam desaparecer em até 48 horas.

Nesses casos recomenda-se ficar de repouso e beber muitos líquidos. Caso a dor seja intensa, pode-se tomar alguma medicação analgésica, desde que indicados por um médico.

JUNTO COM A DA COVID-19

Desde setembro de 2021, o Ministério da Saúde eliminou o intervalo entre as vacinas, mantendo o intervalo de 15 dias antes e 15 dias depois apenas para o público de 5 a 11 anos. Para as pessoas que tiveram Covid-19, é recomendado aguardar 30 dias após o início dos sintomas para realizar a aplicação do imunizante.

MORTES POR GRIPE

Não deixe de tomar a vacina da gripe. Em dezembro de 2021 o Brasil teve um surto de gripe com mortes causadas pela cepa H3N2 que agora já pode ser bloqueada nas vacinas trivalente e tetravalente.

Rosane Argenta é diretora executiva da Franquia Saúde Livre

Noticias Relacionadas

Novidades do PH! Deseja receber notificações sobre as atualizações mais recentes? Não Sim