Semma leiloa lotes de madeiras apreendidos em Rondonópolis

Leilão de dois lotes de madeiras apreendidas em Rondonópolis arrecada mais de R$ 32 mil

Lotes de madeira apreendidos em ações de fiscalizações pelos órgãos de segurança e de proteção ambiental serão leiloados em Rondonópolis, no próximo dia 19 de dezembro, quinta-feira.

Ao todo, a Prefeitura de Rondonópolis, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), irá leiloar dois lotes que correspondem a mais de 50 metros cúbicos de madeira das espécies “Cambará, Roxinho e Mescla”.

Com o leilão, a previsão inicial é de arrecadar mais de R$ 22 mil aos cofres públicos do município. O dinheiro arrecadado será revertido ao Fundo Municipal de Meio Ambiente, para, posteriormente, ser destinado a projetos e programas ambientais em Rondonópolis, conforme aprovação do Conselho Municipal de Meio Ambiente (Consemma).

Na modalidade presencial, o leilão será realizado no Pátio de Madeiras Apreendidas da Semma, a partir das 8 horas. As vendas serão efetuadas somente com lances para pagamento em até no máximo 48 horas.

“Este será o 10º leilão realizado este ano, que já totalizaram mais de R$ 500 mil ao Fundo Municipal de Meio Ambiente, recursos para ser investidos em ações públicas ambientais”, informou o secretário municipal de Meio Ambiente, João Fernando Copetti.

O secretário comentou que os interessados já podem visitar os lotes para análise no Pátio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, localizado na Avenida Poguba, Quadra 33, na Vila Goulart. O horário das visitas será das 8h às 11h e das 13h às 17h.

“No dia do leilão não serão permitidas visitas aos lotes”, ressalta o Gerente do Núcleo de Madeiras Apreendidas da Semma, Reginaldo Correa, o Bola”.

“Acrescenta, ainda, aos interessados, que todas informações a respeito dos lotes de madeira, que serão leiloados, encontram-se no mural do local onde o material está depositado.

“Além da quantidade total da metragem, o tipo de madeira, a essência, consta também o estado de conservação do material e o valor total da avaliação judicial”.

As apreensões dos materiais foram resultantes dos crimes de transporte ilegal durante fiscalizações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), da Polícia Militar Ambiental, do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea) e Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), tendo a Semma designada pelo Juizado Volante Ambiental (Juvam) e o Ministério Público Estadual (MPE) como fiel depositária judicial das madeiras apreendidas em Rondonópolis.