Santa Casa e Metropolitano realizam mutirão de cirurgias ortopédicas para correção de pé torto

ses-mt

ses-mt

A expectativa é de que sejam atendidos o total de 36 pacientes, entre crianças e adultos

Santa Casa e Metropolitano realizam mutirão de cirurgias ortopédicas para correção de pé torto

Ação realizada nesta quinta e sexta-feira busca agilizar atendimento dos pacientes que aguardam pelo procedimento ortopédico

O Hospital Estadual Santa Casa, em Cuiabá, e o Hospital Metropolitano, em Várzea Grande, realizam nesta quinta e sexta-feira (30.11 e 1º.12) um mutirão de cirurgias para correção de pé torto. A expectativa é de que sejam atendidos o total de 36 pacientes, entre crianças e adultos.

A ação integra o projeto Pé na Estrada, realizado em parceria com a Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé (ABTPé), idealizadora da iniciativa, e o Centro de Reabilitação Integral Dom Aquino Corrêa (Cridac), unidade apoiadora.

“Essas e outras iniciativas vêm para somar ao objetivo da gestão, que é agilizar as cirurgias pelo Sistema Único de Saúde (SUS) de Mato Grosso. As equipes da Santa Casa e do Metropolitano, como dos demais hospitais estaduais, estão empenhadas nesse objetivo”, disse o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo.

A secretária adjunta de Gestão Hospitalar da SES, Caroline Dobes, destacou a necessidade de atender os pacientes ortopédicos com agilidade e eficiência. “Quando realizamos um mutirão, auxiliamos no fim da angústia pela espera da cirurgia e contribuímos para melhor qualidade de vida dos nossos pacientes”, ressaltou a gestora.

Foram convocados para a cirurgia os pacientes que passaram pela triagem no Cridac. Na unidade especializada, eles foram avaliados por médicos ortopedistas. Os casos cirúrgicos foram encaminhados para os hospitais. “Os demais casos que não tinham necessidade de cirurgia seguem em tratamento de reabilitação com os fisioterapeutas e ortopedistas do Cridac”, explicou a diretora da unidade de saúde, Suely Curvo.

Para a diretora do Hospital Estadual Santa Casa, Patrícia Neves, a ação transforma a vida dos pacientes que têm dificuldade de locomoção em razão do pé torto. “Vemos no rosto dos pacientes a felicidade de poder andar com mais firmeza e segurança. Isso pode parecer simples, mas para quem tem o pé torto cada passo significa uma vitória”, pontuou Patrícia.

A diretora do Hospital Metropolitano, Cristiane de Oliveira, destacou a importância das parcerias para a realização de mutirões. “Esta é uma gestão que se preocupa em atender de forma eficiente o usuário do SUS e para isso é imprescindível as parcerias. Estamos empenhados e diminuir a fila de espera por cirurgia ortopédica e toda ação conjunta é sempre bem-vinda”, enfatizou Cristiane.

Além dos médicos da Santa Casa e Metropolitano, integram a ação um grupo de 17 médicos da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé.

+ Acessados

Veja Também