Reeducandos de Cadeia Pública reformam casas para pessoas com deficiência

Picture of Sesp-MT

Sesp-MT

Foto: Sesp-MT

Reeducandos de Cadeia Pública reformam casas para pessoas com deficiência

Compartilhe:

Duas casas reformadas pelo projeto de reinserção social da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp)  “Reconstruir: Minha Casa, Meu Lar, Meu Porto Seguro” foram  entregues nesta quinta-feira (27.07) em Pontal do Araguaia (distante 516 km de Cuiabá). A reforma foi feita por reeducandos da Cadeia Pública de Barra do Garças. O projeto é uma iniciativa da Secretaria Adjunta de Administração Penitenciária (SAAP).

O projeto consiste em realizar reformas em residências de pessoas idosas e com dificuldades motoras para melhorar sua locomoção e qualidade de vida. 
A primeira fase do projeto foi realizada a partir do final do ano passado e as duas primeiras casas foram entregues em fevereiro. Nesta quinta-feira foram entregues mais duas casas reformadas por quatro reeducandos que cumprem pena em Barra do Garças.  Todas as quatro casas foram entregues para pessoas cadeirantes. 

O trabalho dos presos é recompensado por salário e redução de pena, segundo o diretor da Cadeia Pública, Maicon da Costa Oliveira. Ele ainda ressalta a necessidade das atividades para a reintegração social dos presos. 

“Nós, da Polícia da Penal de Barra do Garças, achamos de extrema importância essas atividades, uma vez que estamos contribuindo e fazendo com que profissionais retornem ao vínculo da sociedade, quebrando até mesmo paradigmas de que o preso tem que ficar trancado e que não merece o direito de pagar pelo seu crime e refletir sobre sua vida para que não volte mais a cometer crimes”, afirma o diretor. Oliveira ainda destaca a importância do apoio da prefeitura de Pontal do Araguaia, que oferece oportunidades para presos em projetos públicos. 

Dos 238 reeducandos em Barra do Garças, mais de 100 participam de diversas atividades de estudo e trabalho oferecidas fora e dentro da unidade penitenciária. Exemplos disso são os cursos de costura e serigrafia, que atendem em torno de 15 recuperandos, além dos de assentador de cerâmica, eletricista predial, pedreiro e encanador. 

Há também uma escola dentro da unidade, que atende cerca de 40 presos, desde a alfabetização até o ensino médio, assim como palestras educativas e cursos profissionalizantes oferecidos em todas as alas.

Deixe um comentário

Veja Também

Quer ser o primeiro saber? Se increve no canal do PH no WhatsApp