Projeto que incentiva a pratica de futebol feminino é aprovado na ALMT

Projeto que incentiva a pratica de futebol feminino é aprovado na ALMT

Proposta prevê a promoção de torneios, campeonatos e eventos, bem como na destinação de espaços voltados a pratica de futebol feminino.

Mesmo que o futebol feminino brasileiro e suas jogadoras sejam destaque internacional, o esporte ainda é pouco reconhecido no país. Entre os principais problemas está a falta de divulgação e o baixo investimento. Prova disso é que em Mato Grosso, de acordo com a Federação Mato-grossense de Futebol (FMF), estão em atividade participando do Campeonato Mato-grossense de Futebol Feminino, edição 2021, quatro times femininos: Ação, Cáceres, Cuiabá e Mixto.

A boa notícia é que essa realidade pode mudar nos próximos anos. Na última sessão plenária desta quarta-feira (13) na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), o Projeto de Lei n° 665/19 que estabelece a criação do Programa de Incentivo à Prática de Futebol Feminino no Estado, de autoria do deputado estadual Paulo Araújo (Progressistas), foi aprovado em segunda votação.

O projeto, que agora segue para sanção do governador Mauro Mendes (DEM), prevê a promoção de torneios, campeonatos e eventos, bem como na destinação de espaços voltados a pratica de futebol feminino. O programa deverá ser desenvolvido na rede estadual de ensino. De acordo com o paragrafo único da propositura entende-se por futebol as diversas formas de pratica desse esporte tais como: futebol de campo, futsal, society e futebol de areia.

Paulo Araújo explica que o objetivo é garantir tratamento igualitário entre homens e mulheres. “É preciso investimento no esporte feminino. Do mesmo jeito que tem para os homens, deve ter para as mulheres”, defendeu.

O parlamentar afirma ainda que as mulheres têm de enfrentar cruel preconceito acerca de sua feminilidade, além da absoluta falta de incentivo. “É necessário criar politicas publicas para garantir o espaço das mulheres no futebol e ajudar o esporte a crescer no Estado de Mato Grosso. Aguardamos agora a sanção do governo do Estado, caso seja sancionado, vamos fazer de tudo para que essa lei funcione na prática”, concluiu.

Noticias Relacionadas