Projeto para CPAR ganha corpo e nova avenida poderá ser construída

CPAR deve ficar localizado atrás do Parque de Exposiçoes (em vermelho) e vai contar com nova avenida de acesso



O projeto para a construção do Centro Politico Administrativo de Rondonópolis, o CPAR, está a todo vapor. O prefeito Zé Carlos do Pátio (SD) cuida pessoalmente do projeto junto com o secretário de habitação e urbanismo, Paulo José Corrêa.

Paulo José é o responsável pelo projeto

A área escolhida para a construção do local onde vai funcionar o CPAR fica no fundo do campus da UFMT e já teve o decreto de desapropriação publicado no Diário Oficial do Município nos primeiros dias deste de mês. A área fica na antiga Fazenda Pé de Jaca e pertence ao empresário Áureo Candido Costa.

O prefeito e o secretário Paulo José já têm em mente que deverão projetar uma grande avenida que saíra do anel viário na região dos bairros Granville e Sunflower e cruzará até o CPAR podendo chegar inclusive até o Parque de Exposições. “Essa avenida poderá ser uma nova alternativa para a Exposul, por exemplo”, explicou Pátio.

Ele ainda destacou que o CPAR deverá ter uma área de 50 hectares, pois além dos 40 hectares que foram desapropriados o município conta com uma área de 10 hectares que será anexada.

Em 2019, Prefeitura já firmou termos para repassar mais de R$ 1,6 mi para entidades sociais em recursos próprios
Projeto prevê nova avenida ligando o local ao Parque de Exposições

Pátio ainda esclareceu que no local deverá receber não somente uma nova prefeitura como também outras estruturas de Poder como o Fórum de Justiça. “Vou me reunir com o presidente do Tribunal para mostrar esse projeto”, disse.

A projeto ainda está em fase embrionário, e não tem data para começar as obras efetivamente. Neste momento, as equipes da habitação estão cuidando da parte legal da área para depois começar as delimitações dos terrenos.

Prefeitura- O prefeito prevê que o atual prédio da prefeitura, caso o CPAR se consolide poderá passar a ser um centro cultural e abrigará entidades como a Academia Rondonopolitana de Letras.

O atual prédio foi construído na década de 80 e no ano 2000 sofreu uma transformação para o modelo atual.