Primos que se ajudavam durante 40 anos pelo fato de um ser surdo e outra cega morrem de mãos dadas

obama diz considerar brasil um líder mundial

Um casal de primos, sendo uma cega e um surdo, que eram olhos e ouvidos um do outro vivendo juntos por 40 anos, decidiu morrer de mãos dadas em uma clínica de suicídio assistido.

Phyllis McConachie, de 89 anos, que era surda, e Stuart Henderson, de 86, que era cego, tinham compartilhado uma casa por 40 anos e cometeram suicídio, mantendo as mãos entrelaçadas, em uma clínica na Suíça. Ambos não possuíam nenhuma doença terminal. O caso aconteceu em Troon, Ayrshire.

Phyllis tinha ferido recentemente o quadril em uma queda, e eles sabiam que se isso acontecesse de novo ela seria levada para um hospital para ser cuidada.

O médico Libby Wilson, que assistiu a morte do casal, disse que eles planejaram tudo para ir até a Suíça para morrerem juntos. De acordo com ele, ambos estavam lado a lado, de mãos dadas, em paz e felizes.

O fato de se tornar cada vez mais provável que seriam separados por algum problema de saúde fez com que eles tomassem a decisão de morrerem juntos.

Os idosos, que eram primos, viajaram para o Espírito Eterno, uma organização de morte assistida na Basileia, onde morreram de mãos dadas.

Especialistas do local tentaram convencer o casal a não realizar o procedimento, mas eles garantiram que se não fosse feito agora, eles se matariam de alguma forma.

O casal ficou em um apartamento da organização onde recebeu uma refeição na última noite antes da morte.

No dia seguinte eles estavam lado a lado e foram agraciados com uma substância letal por gotejamento intravenoso.