Presidente do PP diz que primo de Aécio recebia doações suspeitas

levy: ajuste do câmbio é necessário

Primo do senador e candidato derrotado à Presidência nas Eleições 2014 Aécio Neves (PSDB-MG), o senador licenciado e vice-governador do Rio de Janeiro, Francisco Dornelles (PP-RJ), era o responsável por receber as doações ao partido nas Eleições 2010. A informação é do atual presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PI), no último sábado (7), em Teresina (PI).

Segundo Nogueira, “todas as ilações e acusações de envolvimento com Paulo Roberto Costa e com o doleiro Alberto Youssef foram arquivadas pelo ministro Teori Zavaski. Fui inocentado de todas essas acusações. A única investigação que ficou foi as doações feitas para as eleições de 2010, quando o PP não era presidido por mim, mas pelo senador Francisco Dornelles”.

O presidente do PP continuou dizendo que “todos os parlamentares receberam dinheiro das doações destinadas ao PP e não sabiam sua origem. Quem sabia e o responsável pelo recebimento das doações para as eleições de 2010 é o senador Francisco Dornelles”. As informações são do jornal O Globo.

Dornelles, que era o então presidente do PP na época, emitiu nota oficial no próprio sábado (7) em que assegura que as doações obedeceram às regras da legislação eleitoral. De acordo com o comunicado, “todas as doações recebidas pelo Partido Progressista (PP) e enviadas a candidatos do partido durante a gestão de Francisco Dornelles na presidência (2007-2013) tiveram como origem empresas domiciliadas no Brasil e legalmente aptas para fazer doações, as quais estão detalhadas no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)”.

Vice de Luiz Fernando Pezão (PMDB) no governo do Estado do Rio de Janeiro, Dornelles apoiou o primo Aécio Neves nas Eleições 2014 e sugeriu o voto “Aezão” durante a campanha. O pedido era que os eleitores votassem em Pezão e em Aécio para a Presidência da República.