Ministério da Saúde ainda não disponibilizou mais doses de vacinas contra gripe solicitadas pela Município

Ministério da Saúde ainda não disponibilizou mais doses de vacinas contra gripe solicitadas pela Município
Matusalém Teixeira



Encerrada oficialmente na sexta-feira (31), a vacinação contra influenza (Gripe) não foi estendida ainda ao restante da população rondonopolitana, pois não há mais vacinas disponíveis no estoque e o governo federal não disponibilizou mais doses ao município.

Na semana passada, a Prefeitura de Rondonópolis, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, diante dos casos suspeitos de gripe do tipo H1N1 registrados na cidade, inclusive com três mortes, solicitou mais doses de vacina contra a gripe ao Ministério da Saúde.

São considerados integrantes dos grupos prioritários: idosos a partir de 60 anos, gestantes, puérperas até 45 dias, crianças de seis meses até completar seis anos, trabalhadores da saúde, idosos, indígenas, pessoas com doenças crônicas, professores, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.

Em entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira (3), a Secretaria Municipal de Saúde, Izalba Albuquerque, ressaltou que Rondonópolis superou a meta de vacinação dos grupos prioritários estabelecidos pelo governo federal para Campanha Nacional de Vacinação Contra Gripe deste ano, que era de imunizar 57.517 rondonopolitanos do chamado “grupo de risco”.  Entre 10 de abril a 31 de maio, período de realização da campanha, o município vacinou58.727 pessoas, o que corresponde a 102.10% da meta estipulada pelo Ministério da Saúde.

“Cumprimos a nossa missão, vacinando acima até da meta dos grupos prioritários estabelecida pelo Ministério da Saúde, que era de imunizar 90% de cada grupo, pelo menos. Fomos além, vacinando em vários grupos mais de 100%. O índice menor fechou em torno de 92%, que foi o de crianças com idade de seis meses até seis anos”, disse a secretária, observando que diante dos “óbitos” suspeitos de serem motivados pelo vírus da gripe H1N1, ocorridos no município na semana passada, a Prefeitura solicitou mais dez mil dozes ao governo federal, afim de prosseguir com a campanha, atendendo o restante da população que não fazem parte dos grupos prioritários.

No entanto, ainda não foi disponibilizado e o que preocupou o poder público municipal, diante dos casos suspeitos de H1N1, em Rondonópolis, inclusive, com três mortes, registrados até o momento, foi o comunicado do Ministério da Saúde, na sexta-feira (31), de que a campanha seria estendida a partir desta segunda-feira (2) ao restante da população enquanto durarem os estoques da vacina.

“No caso de Rondonópolis, como não há mais vacina disponível no estoque e o Ministério da Saúde, que é o responsável por enviar, ainda não nos encaminhou mais doses, a vacinação para o restante da população não pode ser estendida”, explicou Izalba, acrescentando que, caso o governo federal disponibilize mais, a Prefeitura irá comunicar.