Médicos arrecadam cestas básicas para ajudar funcionários que estão sem receber salário há 3 meses

A situação é enfrentada por enfermeiros, técnicos de enfermagem, maqueiros e demais profissionais contratados.

Os cirurgiões pediatras do Hospital Regional de Rondonópolis, pararam de atender no local no sábado (27) após o vencimento do contrato com o hospital.
Roger Andrade/Primeira Hora

A crise financeira no hospital regional de Rondonópolis, fez com que médicos da unidade começassem uma campanha de mobilização para arrecadar cestas básicas.

A campanha começou no final de semana para ajudar os funcionários que estão há três meses sem receber salário.

O objetivo é evitar que as famílias desses funcionários passem fome em casa. Os alimentos doados começaram a chegar no final de semana.

Cestas básicas estão sendo montadas aos funcionários contratados, que estão sem receber desde dezembro de 2018.

Esse atraso nos pagamentos afeta cerca de 300 profissionais. Até agora, segundo o corpo clínico médico, cerca de 100 cestas já foram entregues.

A campanha foi, inicialmente, encabeçada por médicos que trabalham aqui e acompanham de perto o desespero de pais de família que não têm mais o que comer em casa.

A situação é enfrentada por enfermeiros, técnicos de enfermagem, maqueiros e demais profissionais contratados.

O caso tem sensibilizado vários outros segmentos da sociedade. Redes de supermercados, lojas e movimentos sociais tomaram conhecimento e também ajudaram.

A crise no Hospital Regional se estende desde o ano passado. A unidade começou 2019 com uma dívida que passa dos R$ 10 milhões, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT).

Os recursos para arcar com os pagamentos foram bloqueados judicialmente nas contas do estado, desde que o então instituto gerir administrava o hospital.

Já houve intervenção do estado e por isso a SES tem garantido que a atual gestão do hospital está empenhada na regularização dos pagamentos em atraso e no diálogo com os servidores.