Mapa incentiva debate sobre plantas bioativas no Rio Grande do Sul

Por meio de oficinas, debates e relatos de experiências, a ação busca proporcionar o compartilhamento de saberes entre populares e pesquisadores na produção de plantas bioativas

Teve início na última terça-feira (17), na cidade de Santa Cruz do Sul (RS), a 13ª Reunião Técnica Estadual sobre Plantas Bioativas e o 1º Congresso Sul Brasileiro de Plantas Bioativas. O objetivo dos eventos é fortalecer a cadeia produtiva e a rede de entidades envolvidas, aproximando todas as etapas da produção e proporcionando a troca de experiências, qualificação técnica e fortalecimento de parcerias.

Os eventos são simultâneos e acontecem até esta quinta-feira (19), no Auditório Central da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc). A iniciativa conta com o apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio da Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo (SAF), e tem como tema central “Ciência, Saberes e Práticas Tradicionais em Plantas Bioativas”.

A programação tem como base três eixos temáticos: Homeopatia e Fitoterapia – Princípios e Potencialidades, Plantas Medicinais na Saúde Pública e Meio Ambiente, Biodiversidade e Sustentabilidade a partir das Plantas Bioativas.

“Eventos como este, que estamos realizando a partir de importantes parcerias, são essenciais para a universalização do conhecimento e o estabelecimento de redes, para que as plantas bioativas ocupem lugar de destaque em nossa economia”, destaca o pró-reitor de Extensão e Relações Comunitárias da Unisc, Angelo Hoff.

Por meio de oficinas, debates e relatos de experiências, a ação busca proporcionar o compartilhamento de saberes entre populares e pesquisadores na produção de plantas bioativas, incluindo a agricultura familiar nas cadeias e arranjos produtivos do setor. Outro aspecto abordado no evento, é a inclusão da fitoterapia como prática de saúde no Sistema Único de Saúde (SUS) no Estado do Rio Grande do Sul, amparada pela Política Nacional de Plantas Medicinais e Medicamentos Fitoterápicos.

O diretor do Departamento de Estruturação Produtiva da SAF, Avay Miranda, destacou os principais desafios na organização da cadeia produtiva das plantas bioativas no país. “O setor enfrenta gargalos a serem superados, tais como, a qualidade e a quantidade de plantas produzidas, a carência de conhecimentos específicos sobre cada cultura, a ausência de assistência técnica e extensão rural voltadas ao tema e acesso a mercados especializados”.

A 13ª Reunião Técnica Estadual sobre Plantas Bioativas e o 1º Congresso Sul Brasileiro de Plantas Bioativas são promovidos pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-RS/Ascar), pela Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do Rio Grande do Sul (Seapdr), pela Unisc e pelo Mapa.

Plantas bioativas

De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), plantas bioativas são consideradas aquelas que têm alguma ação sobre outros seres vivos e cujo efeito pode se manifestar tanto pela sua presença em um ambiente, quanto pelo uso direto de substâncias delas extraídas, desde que mediante uma intenção ou consciência humana deste efeito.