Justiça do Irã bane aplicativo Telegram do país para ‘proteger segurança nacional’

Telegram, aplicativo de mensagens, é usado por 25 milhões de pessoas no Irã (Foto: Divulgação/Telegram)



O judiciário do Irã proibiu o popular aplicativo de mensagens instantâneas Telegram para proteger a segurança nacional, informou a TV estatal do Irã nesta segunda-feira (30). A informação é da agência Reuters.

 

“Considerando várias reclamações contra o aplicativo de rede social Telegram por cidadãos iranianos, e com base na demanda de organizações de segurança para confrontar as atividades ilegais do Telegram, o judiciário proibiu seu uso no Irã”, informou a TV.

 

A ordem de banir o aplicativo veio dias depois que o Irã proibiu órgãos governamentais de usar o app. O Telegram, que tem mais de 25 milhões de usuários diários, é a rede social mais popular no Irã, informa a France Presse.

 

Uso em protestos

A decisão acontece depois de uma série de polêmicas envolvendo o aplicativo, que foi usado amplamente durante manifestações contra o alto custo de vida no país no início do ano. Os protestos deixaram 21 mortos, principalmente entre manifestantes.

 

Durante esses tumultos, as autoridades cortaram o acesso ao Telegram e ao Instagram a partir de telefones celulares e acusaram grupos “contra-revolucionários” no exterior de usar essas redes para convocar manifestações.

 

Ainda, desde as grandes manifestações em 2009 contra a reeleição do ex-presidente Mahmud Ahmadinejad, Facebook, Twitter e YouTube estão bloqueadas no Irã, mas podem ser acessados via VPN.