Investidores chineses demonstram interesse em conhecer estrutura do terminal portuário de Barranco Vermelho em Caceres

Picture of prime

prime

Investidores chineses demonstram interesse em conhecer estrutura do terminal portuário de Barranco Vermelho em Caceres

Compartilhe:

Empresários chineses, do grupo Ningxia Eppen, dispostos a se instalarem na Zona de Processamento de Exportação (ZPE) de Mato Grosso, em fase de conclusão, em Cáceres, também demonstraram interesse em conhecer “in-loco” a estrutura do terminal portuário de Barranco Vermelho.

Considerados líderes globais na indústria de aminoácidos, os investidores do grupo Ningxia Eppen, estiveram em Cáceres, na semana passada, para conhecer a estrutura da ZPE, bem como dar início às negociações para, possível instalação do grupo no Distrito Industrial.

Ao tomar conhecimento da estrutura e relevância de Barranco Vermelho para a ZPE, o grupo não escondeu o interesse de conhecer o empreendimento. Contudo, devido a agenda já pré-elaborada, decidiu-se que a visita ao terminal deverá ocorrer na próxima oportunidade.

Localizado a 118 quilômetros abaixo, via Rio Paraguai e 60 quilômetros, através da rodovia, Barranco Vermelho, é um amplo complexo portuário de armazenagem de cargas que servirá para embarque e desembarque de mercadorias de toda região para transporte pela hidrovia Paraguai-Paraná.

Um dos últimos entraves para que a unidade portuária entre em operação, a Licença Prévia (LP) já foi aprovada pelo Conselho Estadual de Meio Ambiente – Consema e a Licença de Instalação (LI) está em fase final. A aprovação ocorreu em reunião do Consema no dia 26 de janeiro de 2022.

Pertencente a empresa Línea Panchita (S.A), terceira maior companhia de navegação da América do Sul, sediada em Asunción no Paraguai, com mais de 50 anos no transporte de cargas na hidrovia Paraguai/Paraná, o complexo portuário está localizado em uma área de 31 ha.

Concluídas, as obras físicas irão ocupar cerca de a metade da extensão, conforme projetos elaborados e já autorizados pelos órgãos ambientais.

De acordo com a empresa, as obras físicas devem iniciar em 2024, após a conclusão da Licença de Instalação e o porto deverá entrar em operação em 2025. O investimento será de aproximadamente R$ 200 milhões. Devendo gerar, incialmente, 100 empregos diretos e cerca de 1 mil ao longo da estrutura necessária para operação.

A capacidade de operação será de 1 milhão de toneladas, atingindo esse patamar em 5 anos. Vale ressaltar que irá depender, essencialmente, do rio Paraguai e sua navegabilidade ou seja: da natureza. O objetivo principal será a exportação de produtos agrícolas, cargas gerais e containers.

Conforme a empresa, mesmo Barranco Vermelho se localizando a 60 quilômetros de Cáceres, todo tributo gerado será do município.

Deixe um comentário

+ Acessados

Veja Também

Quer ser o primeiro saber? Se increve no canal do PH no WhatsApp