Hackers usam cinto de castidade masculino para chantagear vítimas

Invasores pedem recompensa para destravar o objeto

Foto: Reprodução

Uma falha de segurança em um cinto de castidade eletrônico masculino (!) permite que hackers invadam o objeto e o mantenham travado. Dessa forma, algumas vítimas relataram que os invasores pediram recompensas em dinheiro para liberar o pênis dos usuários.

O produto chamado Cellmate é fabricado pela chinesa Qiui possui uma falhar em sua interface. Ao ser hackeado, ele passa a ficar bloqueado, não reagindo aos comandos para liberar. A reportagem foi feita pela Vice americana.

De acordo com o site de segurança da organização Vx Underground, uma vítima relatou que teve seu cinto haqueado e recebeu a seguinte mensagem em seu celular: “seu pênis agora é meu”.




O homem se identificou apenas como Robert e disse que o invasor pediu 0,02 Bitcoin, ou algo na faixa de R$ 3500, para liberar o cinto. A vítima, no entanto, não usava o equipamento no momento do ataque.

Os protocolos de segurança do Cellmate fazem com que ele trave ao ser invadido, mantendo uma argola de metal ao redor do pênis do usuário, que só pode ser removida com ajuda de equipamento profissional.

“Eu não era mais o dono da tranca, por isso eu não tinha controle completo dela em nenhum momento”, revelou um outro indivíduo que também foi vítima dos harckes.

“Quase qualquer companhia e produto vai ter algum tipo de vulnerabilidade em seu tempo de vida. Talvez não tão ruim quanto essa, mas algo”, disse Alex Lomas, especialista em segurança que fez uma análise do produto para o site.

“É importante que todas as companhias tenham uma forma de contato com pesquisadores, e que mantenham comunicação com eles.”, finaliza o pesquisador.