Governador de Mato Grosso assina acordos pelo clima em Barcelona

dia mundial do rock promete abalar as estruturas de rondonópolis

Mato Grosso passou a ser signatário nesta quarta-feira (17) de dois novos acordos internacionais pelo clima. Os acordos foram assinados em Barcelona, na Espanha, pelo governador Pedro Taques (PDT) durante a oitava reunião anual da força-tarefa dos Governadores pelo Clima e pelas Florestas (GCF Task Force), grupo que reúne governadores de 22 estados e províncias do Brasil, da Indonésia, do Peru, da Espanha, dos Estados Unidos da América, da Nigéria e do México com interesses em comum na formulação de políticas climáticas e de sustentabilidade de alcance global.

O primeiro acordo assinado por Taques é a Declaração de Rio Branco, no qual as partes se comprometem a enfrentar em conjunto as mudanças climáticas – com medidas de redução das emissões de carbono, redução do desmatamento e preservação das florestas. Um dos pontos do acordo é a contenção do desmatamento em 80% até 2020.

O segundo acordo é o Memorando de Entendimento Under 2, que estabelece o ano de 2050 como data-limite para que todos os signatários reduzam de maneira drástica suas emissões de gases do efeito estufa de forma a contribuir para que a variação da temperatura global não passe de dois graus centígrados até o final do século.

A assinatura dos acordos é parte da agenda dos governadores e técnicos na reunião do GCF Task Force.

Até a próxima sexta-feira (19) eles deverão participar de painéis de discussões para formular propostas para atingir os objetivos de enfrentamento do aquecimento global, inclusive prevendo o envolvimento da iniciativa privada e de instituições que possam manter parcerias com o sistema REDD+ (Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação florestal), que prevê a geração de créditos conforme a redução do volume de gases poluentes emitidos à atmosfera.

Os créditos são pagos por países poluentes que precisam compensar suas emissões excessivas e Mato Grosso tem interesse em se beneficiar do sistema porque possui potencial baseado na recente redução do nível de desmatamento.

Segundo já declarou a secretário de estado de Meio Ambiente, Ana Luisa Peterlini, que acompanha o governador Pedro Taques em Barcelona, o estado possui, sozinho, potencial para captar no mercado internacional de créditos de carbono cerca de R$ 30 bilhões em recursos que podem ser investidos em programas e projetos de conservação, controle ambiental e desenvolvimento sustentável.

Além de Mato Grosso, a GCF Task Force inclui os estados brasileiros do Pará, do Amazonas, Acre, Amapá e Tocantins. Governadores e vice-governadores dos estados vizinhos já haviam se reunido em Cuiabá no final de maio para a assinatura da Carta de Cuiabá, documento no qual nove estados da Amazônia Legal registraram uma série de reivindicações em prol da manutenção do bioma amazônico.

A reunião na capital mato-grossense também serviu para consolidar a posição do bloco amazônico dentro dos debates da próxima Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, a COP 21, a ser realizada em Paris ainda este ano.