Engenheiro e associação de familiares de presos são alvos de operação em Rondonópolis

Primeira Hora

Primeira Hora

Foto: PJC MT

Engenheiro e associação de familiares de presos são alvos de operação em Rondonópolis

A AFAR Rondonópolis, Associação de Amigos e Familiares de Recuperandos de Rondonópolis, foi alvo de um mandado de busca e apreensão na manhã desta quarta-feira (25), durante a operação da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) na Operação Armadillo, deflagrada pela Polícia Judiciária Civil. Um engenheiro da cidade, que não teve o nome divulgado, também foi alvo da operação.

Investigações apontam que uma facção criminosa contratou o engenheiro para elaborar o projeto da escavação de um túnel para fuga em massa de detentos da PCE, a maior unidade penitenciária de Mato Grosso, e que abriga criminosos de alta periculosidade. A investigação da Polícia Civil encontrou diversas movimentações financeiras entre o grupo e o engenheiro.

A Polícia Civil não divulgou qual foi a participação da AFAR no caso, mas informou que a maioria dos envolvidos no plano do túnel e de fuga dos presos são de Rondonópolis ou oriundos da cidade.

 A OPERAÇÃO

A Operação Armadillo cumpriu 21 ordens judiciais contra integrantes de uma organização criminosa envolvida na construção do túnel para fuga em massa de presos da Penitenciária Central do Estado. As investigações da GCCO iniciaram após a descoberta do túnel, em setembro do ano passado, que estava sendo escavado de dentro de uma residência, no bairro Jardim Industriário, em Cuiabá, em direção à PCE.

A Polícia Civil identificou oito pessoas envolvidas no planejamento e execução do plano de fuga frustrado. Além das prisões, foram decretadas pelo Poder Judiciário de Mato Grosso 12 mandados de busca e apreensão domiciliares e uma ordem de sequestro de imóvel.

+ Acessados

Veja Também