Encontro reúne profissionais da Saúde e da Promoção e Assistência Social para tratar do Pró-família

Assessoria

Na manhã desta terça-feira (10) a equipe técnica dos Centros de Referência e Assistência Social (Cras) da Secretaria Municipal de Promoção e Assistência Social, o Comitê Gestor do programa Pró-família em Rondonópolis, os agentes comunitários de saúde (ACSs) da Secretaria Municipal de Saúde e a equipe de referência da Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc) estiveram juntas no auditório do Paço Municipal para debater o Pró-família no município.

“A equipe da Setasc veio nos passar algumas diretrizes sobre o Pró-família de forma que possamos otimizar cada vez o atendimento ofertado à população beneficiária do programa. Além disso, foi feita uma avaliação do trabalho já realizado e um planejamento com os passos a serem executados até dezembro”, comentou a secretária de Promoção e Assistência Social de Rondonópolis, Iriana Cardoso.

Com o objetivo de atender famílias em situação de vulnerabilidade social, o Pró-família permite que os grupos familiares beneficiários recebam um auxílio mensal a ser aplicado principalmente em alimentação. Entre as condicionalidades exigidas para participar do programa está a permanência dos filhos na escola. Rondonópolis contabiliza 581 famílias assistidas pelo Pró-família.

“Viemos conhecer o panorama do trabalho realizado em Rondonópolis, orientar, esclarecer dúvidas, nos aproximarmos tanto dos técnicos quanto dos beneficiários e fazer os ajustes necessários. Para isso, estamos dialogando com todos os atores do programa”, conta a assistente social e analista de desenvolvimento econômico e social da Setasc, Jennifer Nesnik Jeronymo, que prossegue: “Em uma ponta temos a equipe técnica com pedagogos, psicólogos, assistentes sociais e a gestora da Pasta, além dos agentes comunitários de saúde. Então, viemos falar sobre as atribuições do programa, reforçar a relação e garantir a parceria”.

Jennifer ainda ressalta os atores que estão na outra ponta e lembra que a equipe da Setasc visita algumas famílias assistidas pelo programa: “Temos os beneficiários que são bastante importantes, são a outra parte. Então, queremos conhecer as famílias e vamos até algumas delas para saber se o Pró-família gerou melhorias em suas vidas. Também buscamos conscientizá-las de que o programa não se constitui apenas na transferência de renda, mas é integrado pelas oficinas de capacitação oferecidas nos Cras e que a participação delas nos cursos é fundamental, fazendo com que se sintam parte da sociedade. Queremos que elas percebam que podem contar conosco e com os profissionais do Cras e fortalecer essa vinculação”.

Como a intenção do Pró-família é promover a autonomia dos assistidos a fim de que possam andar com as próprias pernas e não precisem mais depender de auxílio do governo, os beneficiários têm à sua disposição cursos de capacitação profissional que lhes permita sua inclusão social.

Nesse âmbito, Iriana destaca as ações implementadas em Rondonópolis com os favorecidos pelo programa: “A partir do cadastro no Pró-família, inserimos essas famílias em cursos de qualificação ofertados pela Prefeitura em parceria com o Senai e com a Obra Kolping, preparando-as para o mercado de trabalho com o intuito de proporcionar a elas a capacidade de prover a própria subsistência, aumentando sua autoestima e empoderamento”.