Em sete meses, PM tira de circulação 1.230 armas de fogo, são quase seis a cada 24 horas

As armas foram apreendidas nos 141 municípios. Entre elas estão revolveres, pistolas, espingardas, rifles e submetralhadoras, além de munições – tudo recolhido durante o trabalho ostensivo.

Armas e munições apreendidas de janeiro a julho deste ano. - Foto por: PMMT

De janeiro a julho deste ano, a Polícia Militar tirou de circulação em todo estado de Mato Grosso – 1.230 armas de fogo dos mais variados calibres. Na prática, são quase seis armas recolhidas a cada 24 horas.

O resultado é reflexo das abordagens realizadas pelos policiais com o objetivo principal de preservar a vida e a integridade física de cada mato-grossense.

O subchefe de Estado Maior, coronel Wankley Corrêa Rodrigues destaca a importância das ações preventivas realizadas pela corporação.



“Sabemos que um dos principais motivos dos crimes violentos no país é o elevado número de armas ilegais que circulam indevidamente. E o trabalho ostensivo e contínuo realizado pela PM tem contribuído bastante para que os números da violência retrocedam no estado”.

O coronel destaca ainda que com a intensificação das diversas ações policiais, principalmente nos bairros e o apoio do setor de inteligência, a Polícia Militar tem obtido sucesso na apreensão de armas ilegais.

“A obstinação e dedicação de cada policial merece os nossos mais sinceros elogios e o reconhecimento por parte  da corporação e da população”, afirma Rodrigues.

Exemplo da eficiência dessas operações fica evidente nas 24 horas transcorridas entre os dias 25 e 26 de julho, quando a PM conseguiu retirar de circulação uma pistola .40, uma espingarda e três rifles, em Cuiabá, Sorriso, Sinop e Nova Nazaré.

Para coronel Rodrigues, são ações específicas e bem articuladas realizadas em várias regiões do estado que lograram êxito no objetivo de apreender as armas e munições, que é uma das causas principais dos crimes ocorridos.

Outros exemplos foram às apreensões de uma submetralhadora, duas espingardas e um revólver nas cidades de Sinop e Vera, no final do mês de julho.

Interior

No dia 15 de julho, dois homens foram presos na cidade de Nova Ubiratã depois de denúncias de invasões na área rural da cidade. Na ocasião, foram apreendidas três espingardas de calibres 28, 32 e 38, além de dois revólveres de calibre 38.

Batalhão Ambiental

Em continuidade ao trabalho ostensivo no combate ao crime ambiental, essa ocorrência foi atendida na cidade de Sinop e resultou na prisão de um homem denunciado de ser vendedor de armas.

Foram tiradas de circulação uma pistola .380 e várias caixas de munições vazias. Dentro de um cofre estavam as munições intactas de vários calibres. Os militares encontraram ainda uma espingarda, dois rifles, uma espingarda de pressão, 342 munições de cal .380 recarregadas, 52 munições calibre 38 recarregadas, 82 munições calibre 22 original, 150 munições calibre 380 original, 3 mil espoletas para recarregar calibres .380 e .500, além de estojos com munições de calibres 22 e 38.

Foram apreendidos ainda 341 cápsulas de calibres .380, 9 milímetros e uma de .40. Um fraco de um quilo de pólvora, pacotes com bucha para recarregar cartucho calibre 28, dois cases, sendo um de pistola e outro de rifle, além de peãs usadas na máquina, uma luneta e outros equipamentos. A unidade apreendeu durante os sete meses 45 armas de fogo e 114 munições.

Foto por: PMMT

As réplicas

Outra preocupação são os simulacros usados nos crimes. Nos sete meses foram apreendidas no estado 198 réplicas de arma de fogo. Uma delas, o suspeito que era traficante intimidava os moradores com um simulacro de fuzil.

A equipe da Rotam realizava patrulhamento pelo bairro Parque do Lago, em Várzea Grande, quando viu o homem com a possível arma na frente de casa. Durante o procedimento, além de descobrir se tratar de um simulacro, os policiais apreenderam mais um simulacro de pistola, 12 tabletes de maconha, dois tabletes de pasta base de cocaína, uma sacola com pasta base de cocaína, mais 11 porções de maconha, oito sacolas com ácido bórico, dois celulares e dois cadernos com anotações do tráfico, além de três balanças, duas máquinas de cartão de crédito e dinheiro.

Foto por: PMMT