Em circular, CBF determina mais rigor contra reclamações: “Chega de piti”

Acabou a paz para aquele jogador, técnico ou dirigente que esbraveja contra os árbitros. Pelo menos é o que pretende a Comissão Nacional de Arbitragem da CBF (Conaf). A entidade enviou nesta segunda-feira uma circular aos seus afiliados determinando mais rigor às punições por reclamação, seja antes ou depois dos jogos. Segundo o presidente da Conaf, Sérgio Corrêa, os protestos de atletas e treinadores estão cada vez mais acintosos, e a arbitragem está mais desrespeitada.

– Aproveitamos a rodada do meio de semana da Copa do Brasil para fazer esse alerta aos árbitros. Está virando um “piti” geral. Tem piti para lá, para cá. Quando marca lateral, reclamam. Quando marca uma falta, reclamam. Quando marca qualquer coisa, reclamam. Tem que acabar o “piti”. Os árbitros tem que tomar vergonha na cara também e punir mais. Temos visto de uma maneira geral um desrespeito total à autoridade da arbitragem. Ou cumprem a regra, ou serão punidos. Isso vale para todos, jogadores, treinadores, qualquer um – comentou Sérgio Corrêa.

A Conaf já havia pedido “medidas enérgicas” contra reclamações no item 19 de seu ofício com as orientações para 2015. Naquele documento, a CBF reitera que os juízes devem expulsar “os que atuarem de maneira desrespeitosa, acintosa ou grosseira”. Segundo Sérgio Corrêa, a circular enviada nesta segunda também é um recado para os tribunais ficarem atentos a declarações feitas fora dos gramados.

– A gente tenta não estragar o espetáculo, mas não tem jeito. As pessoas não querem. Reclamam em treino, no jogo, em lateral, em tiro de meta. Reclamam de tudo. Se não está bom, alguma coisa está errada. Não admitimos mais esse tipo de comportamento. Todos que derem declarações contra a arbitragem de maneira desrespeitosa poderão ser punidos. Todos têm que ir para o tribunal. Ou respeita a autoridade em campo, ou será punido – sacramenta o presidente da Conaf.

A orientação é direcionada somente aos árbitros que atuem por competições organizadas pela CBF. Sérgio Corrêa não quis citar exemplos de casos recentes que poderiam ter tido maior punição nem comentou as arbitragens polêmicas do fim de semana, ocorridas em estaduais. Ele apenas reforçou que a determinação já é válida para os jogos desta semana pela Copa do Brasil.