Diretora de ‘Loki’ diz que é importante vilão ser gênero fluido em série

Produção da Disney+ sobre personagem da Marvel vivido por Tom Hiddleston estreou nesta quarta-feira (9) no serviço de streaming

Divulgação

Kate Herron, diretora de Loki, a série da Disney+ com Tom Hiddleston que estreou nesta quarta-feira (9), afirmou que era importante o personagem ser “reconhecido como gênero fluido” – a pessoa que é ou se entende como mulher em algum momento da vida, homem em outro, e transita por outras identidades de gênero.

“Ele é gênero fluido na mitologia nórdica e nos quadrinhos”, explicou ela em uma entrevista ao Insider. “Era uma coisa importante ter certeza que isso fosse canon (que fizesse oficialmente parte da história do personagem)“, disse Kate.

Na segunda-feira (7), um teaser de Loki já tinha adiantado a novidade. Uma das imagens mostrava a ficha de Loki Laufeyson  e nela o gênero do deus da trapaça é listado como “fluido”.