Controle Urbano inicia trabalho de identificação e organização de ambulantes

Controle Urbano inicia trabalho de identificação e organização de ambulantes
Matusalem Teixeira

O Departamento de Controle Urbano da Prefeitura de Rondonópolis iniciou um trabalho de identificação e organização dos vendedores ambulantes da cidade.

A intenção, em um primeiro momento, é de que todos sejam identificados com coletes numerados ao mesmo tempo em que se adequem as exigências da Vigilância Sanitária, promovendo assim um visual mais organizado da cidade e colaborando para uma maior segurança aos consumidores.

O chefe do Departamento de Controle Urbano, Aparecido Soares de Lima, informou que cerca de 50 ambulantes do centro da cidade já foram identificados e se reuniram com a equipe do departamento. Nesta ocasião, foram informados do projeto de organização e concordaram em atuar em conjunto. O trabalho, no entanto, continua com a identificação dos ambulantes que atuam nos bairros da cidade.

A maior parte deles têm no trabalho de venda de comida, bebidas, verduras, legumes e frutas, bem como de peças de vestuário e calçados suas únicas rendas. E para continuarem como ambulantes terão que se adequar à algumas regras.

Aparecido explica que eles deverão deixar as calçadas livres para a passagem de pedestres e não poderão expor redes e camisetas, por exemplo, em locais impróprios, que atrapalhem a visualização do trânsito ou prejudique visualmente a cidade.

A Vigilância Sanitária também já está atuando com aqueles que vendem comidas e bebidas, acompanhando como é o processo utilizado por cada um e solicitando em alguns casos adequações às regras sanitárias.

Em um segundo momento, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico passará a integrar o trabalho com o intuito de fornecer um meio pelo qual os ambulantes também passem a contribuir com impostos e taxas ao município.

O chefe do Departamento de Controle Urbano destaca que este é um trabalho contínuo e será implantado de forma gradual para que todos os ambulantes da cidade se enquadrem nas normas estabelecidas. Quem ficar de fora do projeto de organização será impedido de trabalhar nas ruas pela fiscalização da Prefeitura.