CASO “MARGARET”: Na delegacia, mulher diz que era agredida por churrasqueiro

Presa pela polícia por homicídio, a suspeita de assassinar o marido José Carlos da Silva, o churrasqueiro “Margaret”, disse que cometeu o crime por já ter sido agredida pelo então companheiro. O crime ocorreu ontem (9) no bairro Residencial Azaleia.

Na delegacia, ela deu sua versão dos fatos. Segundo afirma, casal se desentendeu após uma visita dela à casa de uma vizinha. Segundo ela, pouco antes, ambos estavam bebendo. No meio da discussão, ela pegou uma faca e golpeou o marido.

Ainda à polícia, a suspeita disse que esta não foi a primeira briga do casal. Em confusões anteriores, ela contou, ele chegou a agredi-la. Após o golpe de faca, a mulher conta que tentou estancar o sangramento da vítima, mas não conseguia.



Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência esteve na residência e constatou que o homem havia morrido. A suspeita foi presa em flagrante por homicídio doloso e entregue na delegacia.

Leia mais:

Churrasqueiro é encontrado morto com facada no peito em Rondonópolis