Brasil monitora situação do coronavírus; não há casos confirmados no país

Ministro da Saúde, Henrique Mandetta, em entrevista coletiva, tranquiliza população brasileira em relação ao coronavírus. - Foto: Agência Saúde/MS



Nesta terça-feira (28), o governo brasileiro recomendou que a população evite viagens à China em razão do aumento do nível de alerta global para transmissão do novo coronavírus. O ministro da Saúde, Henrique Mandetta, destacou que não há casos confirmados da infecção no Brasil. “Este momento é de tranquilizar a população brasileira. Não temos ainda nenhum caso identificado no Brasil”, asseverou Mandetta.

O Ministério da Saúde pedirá a atualização de planos de contingência aos estados. No momento, um caso suspeito é monitorado em Belo Horizonte. Ontem, a Organização Mundial da Saúde (OMS), que até então restringia a questão do coronavírus à província de Wuhan, passou a considerar a China como um todo. “É bom deixar claro que o Brasil já tem total capacidade de identificar o coronavírus. Nesta fase, é importante identificarmos se já existe a circulação do vírus no país”, reforçou o ministro.

Carnaval no Brasil

O ministro da Saúde tranquilizou a população sobre o Carnaval destacando que a maior parte dos turistas que vem ao Brasil durante as celebrações não são da Ásia. “De qualquer maneira, todos os portos e aeroportos estão preparados e farão ações de vigilância. A nossa vigilância em saúde no Brasil é reconhecida, principalmente, pela capilaridade do SUS. O Brasil possui uma equipe de profissionais capacitados e que já passaram por outras epidemias de vírus. Todos os rumores e suspeitas do coronavírus são detectados e avaliados”, explicou o ministro.

Coronavírus em Minas Gerais

Há um caso suspeito em Minas Gerais de uma paciente que foi para Wuhan (China). O estado da paciente é bom, ela está em isolamento. O Governo do Brasil monitora o caso.

Preparação do SUS

Ainda não há qualquer caso confirmado do coronavírus em território brasileiro, mas o Ministério da Saúde já está preparando toda rede do Sistema Único de Saúde para possíveis confirmações. No momento, o Governo do Brasil atua mais no campo da prevenção, seguindo as orientações da OMS. “Hoje, pela manhã, conversei com o presidente Jair Bolsonaro e o coloquei a par das novas orientações da OMS sobre o coronavírus. Ele me solicitou que mantenha a população brasileira informada e prepare o sistema de saúde do país para o atual cenário”, disse Mandetta.

Recomendações de prevenção

Em termos de qualquer epidemia de síndrome respiratória, deve-se lavar as mãos repetidas vezes durante o dia, usando sabão por, no mínimo, 20 segundos; também deve-se evitar espirrar ou tossir sem proteger as pessoas próximas (cobrir as vias aéreas); evitar contato próximo com pessoas com sintomas de gripe; não circular ou expor as pessoas quando houver sintomas de gripe; evitar locais com grande aglomeração de pessoas.

Cuidados na Pecuária

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento também acompanha a situação do coronavírus junto ao Ministério da Saúde. De maneira geral, o coronavírus também pode causar infecções em animais. Entretanto, as investigações ainda estão em andamento para identificar e estabelecer as espécies com potencial de ser um reservatório dessa doença.

Até o momento, com base nas informações disponíveis, não há relatos do vírus em qualquer espécie animal. A Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) não fez nenhuma restrição de comercialização de produtos e de animais. O Departamento de Saúde Animal da Secretaria de Defesa Agropecuária esclarece que a recomendação geral é que animais doentes nunca devem ser abatidos para consumo. Já animais mortos devem ser enterrados ou eliminados com segurança. O contato com carcaças e fluidos deve ser realizado apenas com uso adequado de roupas protetoras.

Com informações do Ministério da Saúde