Aplicativo Caixa Tem permite pagamento de compras em lojas físicas

Beneficiários do auxílio emergencial podem fazer compras pelo app

Divulgação

A partir desta sexta-feira (29), os beneficiários do Auxílio Emergencial poderão realizar compras em lojas físicas de todo o Brasil, por meio do aplicativo CAIXA Tem. Além da possibilidade de uso do cartão de débito virtual, que já estava disponível para compras online, o aplicativo agora oferece a opção “pague na maquininha”, nova forma de pagamento digital que poderá ser utilizada nos estabelecimentos físicos habilitados.

A nova funcionalidade do CAIXA Tem será por leitura de QR Code, código de barras gerado pelas “maquininhas” dos estabelecimentos e que pode ser facilmente escaneado pela maioria dos telefones celulares equipados com câmera.

Atualmente, 80% das Poupanças Sociais Digitais que receberam o crédito do Auxílio Emergencial foram movimentadas pelo aplicativo CAIXA Tem, totalizando cerca de 5,5 milhões de pagamentos de boleto e 25 milhões de transferências eletrônicas.

Para o presidente da CAIXA, Pedro Guimarães, esses números demonstram a relevância do app CAIXA Tem na movimentação dos recursos do Auxílio Emergencial. “Com as melhorias no aplicativo e o aumento do uso pela população, há uma redução considerável de pessoas nas agências para realização de saques do benefício. A CAIXA está realmente promovendo a bancarização e o modelo digital para a sociedade brasileira”, ressalta.

Como pagar nas “maquininhas”:

Quando o cliente seleciona a opção “Pague na maquininha”, no aplicativo CAIXA Tem, automaticamente a câmera do celular é aberta. O usuário deve então apontar o celular para leitura do QR Code gerado na maquininha do estabelecimento.

O aplicativo CAIXA Tem será atualizado gradativamente para implementação de novas funcionalidades, a fim de oferecer a melhor experiência aos usuários.

Os lojistas deverão verificar a disponibilidade da solução na rede adquirente ou credenciadora a que estão vinculados e lembrar que a transação é realizada na função débito.

Veja na íntegra

Veja o calendário de pagamento da 2ª parcela do auxílio emergencial

Cerca de 60 milhões de pessoas estão inscritas no programa do governo federal para receber o auxílio emergencial de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mulheres mães e chefes de família). O benefício é pago a trabalhadores informais e pessoas de baixa renda, inscritos no cadastro social do governo e no Bolsa Família.

O programa foi criado pelo governo federal para garantir uma renda básica emergencial durante três meses, para o enfrentamento dos efeitos econômicos da pandemia do novo coronavírus. A primeira parcela já foi paga.

Saiba como contestar resultado do cadastro do auxílio emergencial

Quem teve o benefício negado, mas discordou dos motivos, pode contestar a análise no site ou no aplicativo da Caixa. Nesse caso, não é possível corrigir os dados. Apenas é possível confirmar as informações prestadas e pedir uma nova análise. Diferentemente da apresentação de um novo pedido, a contestação só pode ser pedida uma vez.

As pessoas que tiveram o pedido de auxílio emergencial considerado inconclusivo devem fazer um novo cadastro no site ou no aplicativo Caixa Auxílio Emergencial.

Segundo a vice-presidente de Governo da Caixa, Tatiana Thomé, o pedido de novo cadastro deve ser preenchido em duas situações: quando o requerimento é considerado inconclusivo (quando o cadastro não consegue ser avaliado) ou quando o benefício é negado.

Nos dois casos, o usuário pode corrigir informações mais de uma vez, mas a análise e a liberação do benefício depende da Dataprev, estatal de tecnologia que verifica as informações em 17 bases de dados.