Advogada faz abaixo-assinado em MT para poder viajar de avião com cão

advogada faz abaixo-assinado em mt para poder viajar de avião com cão

A advogada Renata Luciana Moraes, que mora em Cuiabá, criou na internet um abaixo-assinado para transportar animais de médio porte nos voos da Azul Linhas Aéreas. Ela é dona de um cachorro de 11 kg, que, por normas da companhia aérea, não pode ser transportado. Por causa de viagens a São Paulo, onde mora a família, a advogada chega a ficar quase um mês longe do animal.
Em nota, a assessoria da Azul informou que, por enquanto, a política de transporte de animais a bordo não terá alterações. "Se houver mudança no tamanho e peso de animais, faremos um comunicado à imprensa informando", diz.
A petição da advogada tem o objetivo de sensibilizar a empresa para que animais com mais de cinco quilos – o peso máximo permitido pela companhia – possam ser transportados. A campanha na internet foi criada em dezembro de 2015 e já tem mais de 39 mil assinaturas.
A família de Renata mora no interior de São Paulo e, por isso, ela viaja pelo menos duas vezes por ano para visitá-los. O trajeto de Cuiabá até a cidade é feito exclusivamente pela Azul Linhas Aéreas. A regra da empresa permite apenas, que animais com cinco quilos – somando o peso do animal e o local onde será levado – podem ser transportados.
Por causa da restrição, Denny, o cachorro da raça border collie, que pesa 11 quilos não pode viajar junto com a dona e tem de ficar em casa sob cuidados de outra pessoa.
“Ele é minha família aqui em Cuiabá. Para mim, é como se eu deixasse um filho sozinho em casa. Eu preciso arrumar uma pessoa para cuidar dele quando estou fora”, contou Renata.
Segundo a advogada, a atual regra para o transporte de cães causa um transtorno emocional nos bichos de estimação. Por questões pessoais, ela prefere não deixar o animal hospedado em um hotel especializado para cães. Por isso, ela deixa o cachorro sozinho no apartamento.
A solução encontrada foi deixar o animal sob os cuidados de um amigo que repõe água e ração. “O Denny sofre sem a minha presença. Ele fica dias sem comer e deprimido. Isso corta o coração de quem tem um animal. Os pets são como se fossem da nossa família”, declarou.
Até quarta-feira (17), o abaixo-assinado tinha 39.489 mil assinaturas. A meta é chegar a 50 mil apoiadores. A campanha na internet conta com assinaturas de moradores da Holanda, Alemanha e do Reino Unido.
Renata não esperava a repercussão. Para ela, isso significa que outras pessoas passam pelo mesmo problema. “Isso não solucionaria só o meu problema, mas de muitos outras pessoas.
Empresas aéreas
A empresa Gol Linhas Aéreas Inteligentes permite o embarque de cães e gatos de até 30 kg, entre outras condições, em modo bagagem ou carga. Caninos e felinos de raças com focinhos achatados como o Boston Terrier, Buldogue Frânces, Lhasa Apso, Persa e Himalaio não são transportados pela companhia. Chamados de braquicefálicos, esses animais podem ter predisposição à problemas respiratórios e têm intolerância à temperaturas muito frias ou muito quentes.
A empresa aérea ainda solicita alguns atestados e documentos do animal que ainda devem preencher alguns quesitos como ter mais de quatro meses de idade e serem acomodados em um compartimento especial que deve ser adquirido em pet centers.
Já a Tam Linhas Aéreas solicita que o passageiro informe para a companhia, de maneira antecipada, dados do animal como peso, idade e tamanho da embalagem. Cães e gatos só são aceitos para transporte se tiverem acima de 90 dias de idade. Os animais ainda devem apresentar documentos como atestado sanitário.
A empresa realiza o traslado aéreo de animais braquicefálicos em um serviço diferenciado. Em sua página, a Tam explica que se reserva no direito de recusar animais que demonstrem comportamento agressivo ou violência no momento do aceite.
A Avianca aceita apenas animais domésticos. O recomendado é que a pessoa entre em contato com a central de vendas com antecedência para informar o voo do animal. Filhotes de cães e gatos com idade inferior a oito semanas não podem embarcar, por causa da desidratação causada pela viagem.
Todos os animais devem ser acomodados em um contêiner, adquirido pelo dono, com algumas características especificas. Entre a documentação exigida está o certificado de vacinação e um atestado sanitário. A taxa fixa para os animais é de R$ 200 e cães guias são isentos de qualquer custo.
Todas as empresas também limitam o número de animais por voo, variando entre dois e três por trecho aéreo.
Denny, da raça border collie, pesa 11 kg e não pode ser transportado de avião (Foto: Arquivo pessoal/ Renata Luciana Moraes)